O governo russo qualificou nesta terça-feira como “calúnia” o relatório de um observatório da Microsoft que acusa a Rússia de intensificar sua campanha de desinformação contra os Jogos Olímpicos de Paris-2024.

“Não é nada mais que pura calúnia”, indicou à imprensa o porta-voz do Kremlin Dmitri Peskov, assegurando que estas acusações “não tem nada a ver com a realidade”.

Um relatório do Centro de Análise de Ameaças da Microsoft indicou que a Rússia intensificou sua campanha de desinformação contra os Jogos Olímpicos de Paris-2024, o que inclui a tentativa de reavivar temores a atos violentos durante o evento, que começará em 26 de julho.

“A Rússia está intensificando estas campanhas maliciosas contra França, o presidente (Emmanuel) Macron, o COI e os Jogos Olímpicos de Paris”, disse Clint Watts, diretor-geral do Centro, em uma mensagem publicada no domingo.

Peskov garantiu que este relatório é “uma crítica generalizada sem qualquer fundamento”.

Em um comunicado publicado neste quarta-feira, a embaixada russa em Paris denunciou “uma campanha russofóbica por parte da imprensa francesa” e garantiu que a Rússia “não interfere nem irá interferir nos assuntos internos franceses”.

No sábado passado, três indivíduos deixaram ao pé da Torre Eiffel cinco caixões com gesso e cobertos com bandeiras francesas e a inscrição “Soldados franceses na Ucrânia”.

Os três foram detidos e acusados de “violência com premeditação”.

Fontes próximas à investigação garantiram à AFP que o caso estava sendo tratando como possível interferência de uma potência estrangeira nos assuntos franceses.

bur/pz/mcd/avl/zm/jc