Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A Polícia Civil indiciou Israel Soares, de 21 anos, pelo crime de terrorismo. Em janeiro deste ano, ele foi preso após fazer manifestações nazista nas redes sociais. O caso ocorreu em Tramandaí, Rio Grande do Sul. As informações são do G1.

Para a delegada Andrea Mattos, titular da Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância, a comoção social foi o fator decisivo para o indiciamento do jovem.

“Preocupações com o terrorismo não se restringem à atuação de organizações. Também envolvem ameaças de potenciais atos de violência com motivação política, religiosa, ideológica e étnica que apresentem propósito de geração de pânico, terror e sensação de insegurança na sociedade”, explicou.

Agora, o caso será encaminhado ao Ministério Público, que poderá ou não denunciar Israel à Justiça. Caso seja condenado, ele pode receber uma pena que varia de 12 a 30 anos de detenção.

Relembre o caso

Israel Soares foi preso pela Polícia Civil durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na sua residência.

O jovem realizava publicações de ódio nas redes sociais voltadas aos negros, judeus e pessoas LGBTQ+.

Ele também ameaçou o vereador de Porto Alegre Leonel Radde (PT), e a vereadora transsexual Benny Briolly (PSOL), de Niterói (RJ).

Na sua residência, foram apreendidos um capacete da Legião Hitlerista, celular, computador, canivete, radiocomunicador e alguns pendrives.

Atualmente, Israel está detido na Penitenciária Modula Estadual de Osório (RS).