ISTOÉ Gente

Roberta Miranda brinca com nova onda de drive-ins: “Fui para dar mesmo”

Crédito: Divulgação

A cantora Roberta Miranda tentou trazer um pouco mais de leveza para esse momento difícil que estamos vivendo por conta da pandemia do novo coronavírus. Em seu perfil no Twitter, ela brincou com a nova onda de drive-ins, que tem sido uma opção para as pessoas irem ao cinema e até mesmo a shows com mais segurança e sem se contaminar com a doença.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Veja também:
Valesca Popozuda faz desabafo sobre pandemia: “Estou há cem dias sem trabalhar, sou autônoma
Grávida, Gio Ewbank será substituída por Bruna Marquezine no YouTube

No micro blog, a artista disse ter estranhado o novo esquema e revelou que frequentou os cinemas a céu aberto no passado. “Agora estou bugada! Gente, lembro que aos 20 anos, eu fui no drive-in mas não foi para cantar, foi pra dar mesmo! Será que vou neste novo formato repetir os mesmos delírios? Ou cantar?”, disparou ela na web.

Confira a publicação de Roberta Miranda:

Reprodução Twitter

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea