Esportes

Robert Scheidt usa Copa do Mundo como teste para Tóquio-2020 na classe 49er

Mais um ciclo olímpico para Robert Scheidt começará nesta semana. Agora em uma nova classe, a 49er, o multicampeão velejador brasileiro inicia nesta terça-feira a etapa de Miami, nos Estados Unidos, da Copa do Mundo de Vela. Estreante na categoria, entra na disputa com o objetivo de ganhar experiência e começar a sentir se esse realmente é o caminho para os Jogos de Tóquio, no Japão, em 2020. “Ainda tenho lenha para queimar e essa é uma nova motivação. Vamos em frente e deixar as coisas acontecerem até decidirmos se essa empreitada pode se transformar em ciclo olímpico”, afirmou.

A etapa de Miami da Copa do Mundo é a primeira grande competição do ano, mas a temporada de 2017 começou há duas semanas para Robert Scheidt e seu novo parceiro, o proeiro Gabriel Borges. A dupla disputou a Miami Mid Winters e terminou em 11.º lugar na disputa, que envolveu 17 barcos. “Sofremos com quebras no primeiro dia e perdemos quatro regatas. Não fosse isso, acredito que poderíamos ter obtido uma posição ainda melhor. Mas o importante é que estamos em uma curva ascendente e trabalhamos para velejar em um nível ainda mais alto na Copa do Mundo. Entremos sem grandes expectativas, mas daremos o nosso melhor sempre”, afirmou o bicampeão olímpico.

No total, a classe 49er terá 12 regatas em Miami, mais a medal race, programada para ser disputada no sábado. Robert Scheidt volta a City of Miami Regatta Park um ano após conquistar a medalha de ouro na competição da Laser.

Depois do quarto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, o velejador decidiu, aos 43 anos, encarar o desafio de velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes das classes Star e Laser, que o consagraram na vela. “Sempre imaginei que o Rio-2016 fosse a minha última Olimpíada. Eu estava sem definição do que iria fazer quando o Gabriel me ligou perguntando se eu gostaria de testar o 49er. E pensei: ‘Por que não tentar uma categoria nova?'”, contou.

Além da dupla Robert Scheidt/Gabriel Borges, o Brasil tem mais velejadores da etapa de Miami da Copa do Mundo. São eles: Martine Grael e Kahena Kunze, atuais campeãs olímpicas na 49erFX; Jorge Zarif (Finn); Bruno Fontes (Laser); Henrique Haddad e Breno Abdulklech (470 masculina); Gabriella Kidd (Laser Radial); e Bruna Martinelli (RS:X feminina).