Geral

RN: Morre paciente de 300 quilos que aguardou cinco dias por vaga em UTI

Crédito: Cedida

Na manhã deste sábado (28), Carlos Alberto Félix da Silva, de 41 anos, morreu após passar cinco dias em um colchão no chão enquanto aguardava ser internado em uma cama na UTI. O paciente, de 300 quilos, foi reanimado depois de duas paradas cardiorrespiratórias, mas não resistiu à terceira.

“Pelo menos, teve um pouco de dignidade no fim da vida, não estava no chão e recebeu toda a atenção e cuidado possível. Infelizmente, estava muito grave”, falou André Prudente, diretor do Hospital Giselda Trigueiro.

O paciente estava com insuficiência cardíaca e rabdomiólise. Seu exame de Covid-19, uma suspeita inicial, deu negativo. Ele deu entrada no Hospital Regional de João Câmara na última segunda-feira (23), apresentando dificuldade de respirar, lábios e dedos roxos e batimentos cardíacos fracos. 

Na última sexta-feira (27), a família de Carlos conseguiu na Justiça o direito a um leito de UTI em um hospital de Natal para que ele pudesse receber o tratamento adequado. Na madrugada deste sábado, o paciente foi transferido para o Hospital Giselda Trigueiro, onde faleceu.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel