Geral

RJ: Casal morto no Leblon vivia auge e estava se conhecendo, contam amigos

Crédito: Reprodução/ redes sociais

RJ: Casal morto no Leblon vivia auge e estava se conhecendo, contam amigos (Crédito: Reprodução/ redes sociais)


Nathalia Guzzardi Marques e Mateus Correia Viana, ambos com 30 anos, foram encontrados mortos no box do banheiro de um apartamento no Leblon, no Rio de Janeiro, na terça-feira (22). De acordo com os familiares, o casal ainda estava se conhecendo e a morte precoce chocou parentes e amigos. As informações são do Uol.

Mulher morre e homem tem corpo queimado após botijão de gás explodir

RJ: Prédio em que casal morreu no Leblon já registrou caso de óbito por intoxicação com gás

Exames em casal encontrado morto apontam asfixia; intoxicação por gás é apurada

Mateus Viana morava sozinho no apartamento onde o casal foi encontrado. Ele era formado em direito, mas, desde 2017, costumava passar a maior parte dos dias na Fazenda Correia, uma propriedade familiar no interior do Rio, onde empreendia com a venda de tilápia.

“Orgulho do que me tornei. Grato pelo que tenho. Grato pelo que terei”, chegou a escrever Mateus em uma rede social. O jovem também era adepto a uma alimentação saudável, o que o estimulou a tocar o projeto na fazenda.

“Sempre gostou de viajar, era muito ‘família’, um cara tranquilo, que não arrumava confusão, sorriso largo. Ele sempre gostou de se cuidar, estar em forma. Isso ajudou até na decisão de focar nessa carreira de que ele tanto gostava, de incentivar os outros a comer melhor. A família dele está muito mal, todos nós estamos”, contou o advogado Leonardo Pereira ao Uol.

Já Nathalia era psicóloga e morava com o filho, na zona oeste do Rio. Na segunda-feira, antes de ir para casa de Mateus, ela pediu para a mãe buscar o filho.

“Ela sempre agradecia pelas conquistas dela, pelo trabalho, pelo filho. Mesmo com os problemas do dia a dia, ela sempre tentava pensar no lado positivo. A família está muito arrasada e não consegue falar agora. Estão todos preocupados com ele [filho de Nathalia]”, disse ao Uol a amiga Lívia Salles.

De acordo com Nayana Scalabrin, que trabalhava com a jovem, Nathalia e Mateus “não eram namorados, mas estavam se conhecendo e ela estava gostando dele”.

Thiago Sines, pai do filho de Nathalia, lamentou as mortes. “Ela estudou, se formou, montou a parada dela, estava estourando agora. O cara parecia ser gente boa também e vem e acontece uma coisa dessa”, disse ao Uol.

Causa da morte

Laudos de exames de necropsia realizados em Mateus e Nathalia apontam que os corpos apresentam “sinais gerais de asfixia, com coloração carminada dos tecidos, sugestivo de intoxicação exógena”.

A reportagem do jornal O Globo teve acesso ao documento, assinado pelo perito Claudio Amorim Simões, do Instituto Médico Legal (IML), que descreve que foram solicitados exames complementares que definam se a intoxicação do casal ocorreu por monóxido de carbono.

Segundo a delegada Natacha Alves de Oliveira, titular da 14ª DP (Leblon), a principal suspeita até o momento é de que os dois tenham sido vítimas de um acidente doméstico, em decorrência de problemas no aquecedor a gás da água do apartamento em que estavam.

Os corpos das vítimas foram encontrados por colegas de Matheus, que foram até o apartamento na noite de terça-feira (22), após o casal não dar notícias desde segunda-feira (21). Ao encontrar os dois desacordados, os amigos chamaram o Corpo de Bombeiros.