Geral

RJ: Capitão da PM acusado de chefiar milícia é preso de novo um mês após ser solto

Crédito: Divulgação

O capitão da PM Leonardo Magalhães Gomes da Silva foi preso novamente nesta semana. De acordo com a Polícia Civil, o segundo mandado de prisão está relacionado aos assassinatos de Jardel Felipe Rodrigues Neto e Renan da Silva Pinto, executados a tiros em janeiro de 2020 em Vargem Grande, no Rio de Janeiro. As informações são do jornal Extra.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Silva ordenou os homicídios porque a dupla vendia drogas no bairro sem a sua permissão. A nova prisão de Leonardo foi determinada pela juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal. Além do capitão, também respondem pelo homicídio dois comparsas: Caio Camilo de Jesus e Deivid Salgado da Silva.

Silva estava solto desde o início do mês, quando teve a prisão preventiva convertida em medidas cautelares. O oficial se entregou na segunda-feira (22) e já está na Unidade Prisional da PM. Os outros dois suspeitos estão foragidos.

Além do suposto envolvimento nos assassinatos, o capitão da PM é apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como chefe da milícia que controla os bairros Vargem Grande e Vargem Pequena, no Rio de Janeiro.


+ Homem que vivia ‘casado’ com a própria filha é preso após polícia investigar agressão contra criança
+ Família de Schumacher coloca mansão à venda por R$ 400 milhões
+ Ao preço de US$ 1.600 por kg, carne Ozaki é a mais cara do mundo



Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS