PUBLIEDITORIAL

Rio Pinheiros: qualidade de vida de volta para as pessoas

Além dos benefícios ambientais, o programa Novo Rio Pinheiros ajudou muita gente a recuperar a dignidade, a apreciar a natureza e ter um trabalho com propósito

Crédito: Divulgação

Rio Pinheiros: qualidade de vida de volta para as pessoas (Crédito: Divulgação)

A vida está de volta ao Rio Pinheiros e o Pinheiros está de volta à vida. Slogan da campanha do programa Novo Rio Pinheiros, promovido pela Sabesp e pelo Governo do Estado sob coordenação da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, nunca fez tanto sentido. A recuperação desse importante cartão-postal da cidade de São Paulo está rendendo resultados significativos, não somente para o meio ambiente. A revitalização do rio está trazendo a vida de volta para as pessoas.

Desde pessoas que moram perto de seus afluentes, pessoas que frequentam a ciclovia e até mesmo para os próprios colaboradores da Sabesp. E os exemplos sobre os benefícios que esse trabalho feito pela empresa de saneamento está trazendo para a qualidade de vida das pessoas são relatados por elas próprias.

Recuperação da dignidade, conquista de um lugar melhor para morar, um local agradável para praticar esportes e até mesmo um trabalho de propósito são apenas alguns dos relatos que a Sabesp vem recebendo.



“Estou colaborando com algo muito maior”

Para Fernandes Hayashi, engenheiro da Sabesp que está envolvido nas obras, o programa Novo Rio Pinheiros envolve muito mais do que simplesmente a engenharia. “É qualidade de vida, e isso não tem preço”.
“Quando você começa a ver que o Rio Pinheiros tem vida de volta, com os animais e peixes voltando a aparecer, percebe que está colaborando com algo muito maior”, afirma.




“Hoje eu posso convidar a minha família para vir na minha casa”

“Era horrível e vergonhoso. Eu tinha vergonha de trazer minha família para cá por causa dos córregos e do cheiro”, conta Irene. “Tinha bastante rato e barata que entravam no meu quintal. Chegaram a entrar até dentro de casa”, conta Irene Angelo da Silva, moradora do bairro Americanópolis.

A melhora na qualidade de vida se estendeu inclusive para os seus filhos.

“Eles agora têm mais espaço para brincar de bola”. Para ela, com o trabalho da Sabesp a vila ganhou novos ares. “Hoje a vila não é vila, está parecendo um bairro. Hoje aqui estou no Paraíso”, diz.




“Agora sou conhecida aqui na comunidade”

Moradora do Jardim Jaqueline, na zona sul de São Paulo, Alessandra Clementino estava desempregada, sem perspectivas de encontrar um novo emprego quando iniciou o trabalho num consórcio prestador de serviços para a Sabesp, tornando-se agente comunitária do bairro.

Os próprios moradores relatam a melhora da qualidade de vida. “Eles vivem falando que a região mudou muito, que agora o cheiro é bem melhor e o lixo não está acumulando”.

“Eu chego na comunidade agora e não sou mais conhecida só como a Alessandra, a bagunceira. Recuperei minha dignidade”.



“Você pode comer um lanche na beira do rio e não sentir aquele cheiro desagradável”

Inaugurada em 2010, até 2019 a ciclovia da marginal pinheiros registrava uma média de 17 mil ciclistas por mês. Com a reforma do programa, o fluxo aumentou quase dez vezes.

A ciclista Katia Cristina conta que estar perto do Rio Pinheiros era algo inimaginável por causa do cheiro. “Só se fosse de carro. Nunca pensei que fosse usufruir de fato das margens dele. Daqui a alguns anos, vai ser chique dizer que vai se casar à beira do rio”.

O professor de Educação Física, Paulo Henrique, usa a ciclovia para se exercitar e ir para o trabalho. “Quando eu descobri a ciclovia da marginal, ela trouxe um pouco daquilo que eu
estava precisando”, ressalta.


Tópicos

Rio Pinheiros