Economia

Resistência da Itália freia reforma da zona do euro

Resistência da Itália freia reforma da zona do euro

(Arquivo) O primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte fala durante uma conferência de imprensa em Roma - AFP/Arquivos

Os ministros europeus das Finanças não conseguiram, na noite de quarta-feira, fechar um acordo sobre uma reforma da zona do euro, devido especialmente a resistências da Itália.

Estava previsto que os ministros convergissem sobre a reforma do Mecanismo Europeu de Estabilidade (Mede) e sobre um calendário para a implementação do Sistema Europeu de Garantia de Depósitos (Edis, na sigla em inglês).

Suas conclusões deveriam ter sido adotadas em uma cúpula europeia celebrada nos dias 12 e 13 de dezembro pelos dirigentes da UE.

Há algumas semanas, a reforma do Mes é criticada na Itália, tanto pela Liga de Matteo Salvini, como pelo Movimento Cinco Estrelas.

Criado em 2012, em meio à crise da zona do euro, o Mede precisa reforçar sua capacidade financeira, aumentar os poderes de supervisão dos países em dificuldades e se tornaram credores dos bancos em quebra.

Não há “um acordo definitivo” sobre ele “na medida em que alguns pontos deve ser finalizados”, afirmou nesta quinta-feira em coletiva de imprensa em Bruxelas o presidente do Eurogrupo Mario Centeno.

Na esperança de que “os debates se apaziguem na Itália e em outros lugares”, Centeno disse que a expectativa é de que esse expediente seja desbloqueado na próxima reunião de ministros das Finanças, que será celebrada em Bruxelas no dia 20 de janeiro.