Televisão

Repórter da CNN diz ter sido alvo de racismo no clube Pinheiros

Crédito: Reprodução/ CNN Brasil

O repórter Jairo Nascimento, da CNN, afirma ter sido alvo de racismo no Clube Pinheiros, em São Paulo, enquanto tentava fazer uma reportagem sobre atletas olímpicos na pandemia.

De acordo com Jairo, ele chegou ao local acompanhado da equipe de reportagem e foi recebido pela diretora-adjunta de comunicação do Clube Pinheiros, Ana Paula Adamy. Ela teria perguntado quem era o repórter encarregado. Jairo respondeu: “Eu sou repórter” e Ana teria ficado desconfiada.

Além disso, ela e outro diretor identificado como Fábio também questionaram a isenção da reportagem, temendo que fosse caracterizada como tendenciosa. Após o episódio, a direção da CNN Brasil decidiu cancelar a reportagem. O caso ocorreu no mês passado e a denúncia foi exibida pela emissora no domingo (21), no Dia Internacional de Combate ao Racismo. Ao Uol, o repórter informou que registrou um boletim de ocorrência do caso.

LEIA TAMBÉM: Auditoria interna aponta problemas no tratamento a atletas no Pinheiros

Procurado pelo Uol, o presidente Ivan Castaldi Filho disse que trabalha diariamente para que todos tenham o mesmo tratamento. “O preconceito é um mal que afeta o mundo inteiro, uma doença que a sociedade deve erradicar urgentemente. Precisamos viver muito atentos para identificar atitudes e ações que possam ter um lado de discriminação. Sempre foi assim com o clube Pinheiros. Somos uma instituição inclusiva”, afirmou em um vídeo enviado ao Uol.


+ Casal posta fotos nus em pontos turísticos e ganha fama na web
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ ‘Raça de víboras’: Andressa Urach critica seguidores que não acreditam em sua fé
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



“A equipe de diretores do clube, especialmente os times de governantes e comunicação, trabalham todos os dias para garantir que no Pinheiros todas as pessoas tenham o mesmo tratamento, o mesmo cuidado e as mesmas oportunidades. Por isso apuramos todas as denúncias que recebemos e corrigimos na hora qualquer desvio de conduta”, disse Ivan.

Em nota, a CNN afirmou que lamenta o episódio, disse que “discriminação racial é crime” e que “infelizmente esse crime ainda está acontecendo”. “A CNN Brasil não tolera e sempre denunciará qualquer tipo de discriminação. Também estará sempre ao lado de sua equipe prestando o apoio necessário para o exercício profissional do jornalismo”, diz a nota enviada ao Uol.

 

Veja também

+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS