Mundo

Reino Unido: 48.000 mortes atribuídas à COVID-19

Reino Unido: 48.000 mortes atribuídas à COVID-19

Aviso em vitrine de loja explicando aos clientes que está fechada temporariamente devido ao surto de coronavírus em Portobello Market, no oeste de Londres, em 1 de junho de 2020 - AFP

Mais de 48.000 pessoas morreram no Reino Unido com causa suspeita ou comprovada do novo coronavírus, de acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas (ONS), estabelecendo um balanço mais alto do que o das autoridades de saúde.

O número de mortes relacionadas à COVID-19 na Inglaterra e no País de Gales, no entanto, atingiu seu nível mais baixo em sete semanas, com 2.589 mortes na semana que terminou em 22 de maio, informou o ONS.

Os números publicados semanalmente pelo ONS diferem dos relatórios diários do governo, limitados às pessoas testadas positivo para a COVID-19. O último balanço do governo, divulgado na segunda-feira, foi de 39.045 mortos.

O Reino Unido é o segundo país em número de mortos pela pandemia, depois dos Estados Unidos.

Os dados do ONS também revelam 62.000 mortes a mais no país, em comparação com a média dos últimos cinco anos em todo o Reino Unido desde o início da pandemia.

O país está flexibilizando gradualmente o confinamento decretado no final de março, com a reabertura de escolas, concessionárias de automóveis e mercados ao ar livre. Lojas de roupas, livrarias e outras empresas não essenciais poderão reabrir em meados de junho.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Hamilton bateu de novo em Albon; veja memes da F1
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior