Esportes

Redução de ‘salários’ no Santos afeta até os ídolos do passado

Crédito: Reprodução Instagram Santos

Bandeira da torcida santista exibida no Pacaembu (Crédito: Reprodução Instagram Santos)


Em meio à crise financeira que assola os times de futebol do mundo, agravada pela pandemia de Covid-19, o Santos é o clube que realiza o maior corte de salários de seus jogadores e funcionários – com uma redução de 70%. Os cortes não pouparam sequer a velha guarda santista.

Segundo a Gazeta Esportiva, Dorval, Edu, Mengálvio e Pepe, ídolos eternos do Santos, também tiveram redução nos “salários”.

O valor mensal da grana que os ex-jogadores recebem do Peixe não é classificado como vencimento por ser uma prestação de serviço em RPA: recibo de pagamento autônomo. A quantia é de R$ 5 mil fixos e outros R$ 5 mil variáveis por eventos. Os craques do passado costumam participar de ações, principalmente na Vila Belmiro, e durante a quarentena enviaram vídeos pedidos pelo clube.

Ainda de acordo com as informações da Gazeta, o corte na verba dos veteranos da baixada foi de 30%, com o pagamento em R$ 7270. Os ídolos do passado entenderam a situação e, assim como jogadores e funcionários, aguardam por dias melhores após a pandemia do novo coronavírus.

Coutinho faz parte do contrato de prestação de serviço com o Alvinegro. No caso dele, a transferência é feita para a família. O artilheiro faleceu em 2019.

Com dificuldades financeiras, o Santos honrou com o pagamento de 100% do salário para quem recebe até R$ 6,1 mil por mês, o teto previdenciário, a metade do valor descontado será devolvida em possível futura rescisão contratual dos atuais atletas.

A decisão dos cortes não teve consentimento dos atletas comandados do técnico português Jesualdo Ferreira.