Tecnologia & Meio ambiente

Rede de farmácias canadense usará blockchain para rastrear cannabis

Rede de farmácias canadense usará blockchain para rastrear cannabis

A maior rede de farmácias do Canadá anunciou nesta segunda-feira (17) planos de utilizar tecnologia de blockchain para rastrear a origem da maconha que distribui, como parte de um esforço para estabelecer padrões nesta indústria crescente.

A Shoppers Drug Mart divulgou que está fazendo uma parceria com a empresa canadense de software TruTrace com o objetivo de desenvolver e colocar em prática um projeto piloto que assegure a localização da cannabis medicinal.

O vice-presidente da Shoopers, Ken Weisbrod, disse que para que os pacientes tenham confiança no uso da cannabis medicinal, a fonte deve ser “rastreável e responsável”.

“Quando um paciente toma uma medicação, há uma expectativa de que esteja dentro de uma norma estandarizada, e espera resultado clínicos consistentes.

“Apesar disso não ser sempre uma garantia dentro da indústria medicinal de cannabis neste momento, esperamos que este novo programa possa mudar isso”, declarou Weisbrod.

Popularizado através de seu uso na criação de criptomoedas como o Bitcoin, o blockchain é um livro de contabilidade descentralizado que pode ser utilizado para verificar o registro das transações.

O projeto piloto está programado para ser lançado agora no meio deste ano e deve chegar nas farmácias em novembro de 2019, de acordo com a Shoppers, que tem 1.300 lojas.

A cannabis medicinal foi legalizada no Canadá em 2001, e o consumo recreativo foi completamente legalizado em outubro de 2018.

Desde a liberação para uso recreativo, 5,4 milhões de canadenses compraram maconha, entre eles cerca de 600 mil que disseram que recentemente a provaram pela primeira vez, de acordo com a agência federal de estatísticas.