O detentor do recorde mundial de maratona, Kelvin Kiptum, e seu treinador Gervais Hakizimana morreram em um acidente de carro no oeste do Quênia, que também deixou um terceiro passageiro ferido, informou a polícia neste domingo (11). “O acidente ocorreu por volta das 23h00 locais [17h00 no horário de Brasília)”, disse a polícia.

As autoridades indicaram que o veículo transportava três pessoas e duas morreram no local do acidente, enquanto a terceira foi levada ao hospital. “Os dois (falecidos) são Kiptum e o seu treinador”, disse Peter Mulinge, comandante da polícia do condado de Elegeyo Marakwet, no oeste do Quênia.

“Era Kiptum quem dirigia em direção a Eldoret quando perdeu o controle (…) matando dois ocupantes no local. Uma passageira ficou ferida e foi levada às pressas para o hospital”, acrescentou Mulinge.

Kiptum, que estabeleceu o melhor tempo mundial (2 horas e 35 segundos) na maratona de Chicago em outubro passado, tinha 24 anos. Ele estava em fase de preparação para os Jogos Olímpicos de Paris.

Essa marca Kiptum foi a terceira vez que foi estabelecida como recorde mundial masculino em Chicago, e a primeira desde 1999, quando foi conseguida pelo marroquino Khalid Khannouchi.

Kiptum também venceu as duas maratonas anteriores, na estreia em Valência em 2022 e no ano seguinte em Londres.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

O atleta queniano anunciou a intenção de se tornar o primeiro homem a correr uma maratona oficial em menos de duas horas, na competição de Roterdã, no dia 14 de abril.

“Atleta incrível”

Sebastian Coe, presidente da World Athletics, disse que ficou “chocado e triste ao saber desta perda devastadora”. “Em nome da World Athletics, enviamos as nossas mais sinceras condolências às suas famílias, amigos, companheiros e ao Quênia”, disse Coe em um comunicado. “Um atleta incrível deixa um legado incrível, sua falta será muito sentida”.

A World Athletics indicou que desde outubro passado ele não competia, mas que deveria participar da maratona de Roterdã. O bicampeão olímpico queniano dos 800m, David Rudixha, disse que a morte de Kiptum é “uma grande perda”. A Athletics Kenya enviou as suas condolências “a toda a comunidade atlética neste momento difícil”.

O técnico Hakizimana, natural de Ruanda, foi um corredor que treinou durante anos no Quênia, onde conheceu Kiptum na cidade de Chepkorio.

A morte prematura de Kiptum lembra a de outro grande maratonista do Quênia, Samuel Wanjiru, que também morreu aos 24 anos. Wanjiru, campeão olímpico em 2008 em Pequim, morreu em 2011 após cair de uma varanda.

O recorde mundial anterior da maratona pertencia ao também queniano Eliud Kipchoge, com 34 segundos a mais que Kiptum.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias