Brasil

Reconhecimento facial causa problemas entre motoristas e passageiros da Uber

Crédito: Reprodução

Ferramenta de reconhecimento facial (Crédito: Reprodução)


Uma queixa recorrente de alguns usuários do Uber é o funcionamento do nova ferramenta de reconhecimento facial de máscara. O aplicativo, que está em funcionamento há dois meses, tem sido alvo de reclamações dos passageiros.

O motivo é que alguns motorista teriam denunciado passageiros pelo uso incorreto ou a falta a máscara de proteção contra a Covid-19. Com isso, os usuários relatados recebem uma advertência da plataforma e podem até ser banidos do aplicativo.

Thais de Sales Lima, de 25 anos, foi uma das usuárias que alega ter sido denunciada indevidamente pelo motorista.

“O motorista queria que eu cancelasse e eu não cancelei, então ele iniciou a viagem sem chegar ao local e finalizou rápido. Depois eu vi um email dizendo que eu entrei sem máscara e que na próxima corrida eu teria que fazer a selfie”, contou ao UOL Tilt.

“Após enviar a selfie você é automaticamente liberado. Aparece um visor na câmera, com um rosto que tem a sombra da máscara. Então você faz a foto encaixando o desenho”, acrescentou sobre o procedimento de verificação da empresa.


+ Atleta de Jiu Jitsu morre aos 30 anos de Covid 15 dias após perder o pai pela doença
+ Após ameaças, soldada da PM denuncia coronel por assédio sexual
+ Mulher morre após ingerir bebida alcoólica e comer 2 ovos



O que dizem os motoristas?

Iuri Larrosa, de 26 anos, revelou que costuma pedir aos passageiros para continuar com a máscara dentro do veículo, mas que alguns costumam abaixar o equipamento de proteção assim que ele desvia o olhar.

“Reportei passageiro por não querer usar a máscara, entrar no carro e tirar. Alguns dizem que sentem falta de ar, mas peço para colocar novamente. Só que assim que eu viro para frente, eles baixam. Nunca tinha recebido nenhuma resposta dos aplicativos sobre as denúncias”, afirmou Iuri.

“Mesmo com a comprovação, o passageiro pode tirar a máscara ou então baixar e deixar no queixo”, criticou.

O motorista Sóstenes Nabuco, de 41 anos, tem uma opinião diferente sobre o recurso da plataforma.

“Eu avalio positivamente. Quando a própria Uber cobra do passageiro, reflete muito melhor para os motoristas. Nós trabalhamos melhor, com mais segurança. Acho que é uma forma de o passageiro saber que é uma norma da empresa, que é uma obrigação”, afirmou.

O que a Uber Diz?

A empresa preferiu não se pronunciar sobre os casos ou recursos disponíveis no app, mas informou sua posição sobre o aplicativo por meio de nota.

A Uber relata que a ferramenta é um método de “utilizar o feedback dos parceiros (motoristas) para evitar que novas viagens comecem sem o equipamento, obrigatório em todas as viagens com o app, e tornar a plataforma cada vez mais segura”. Além disso, sugere aos usuários reportar os problemas “pelo próprio aplicativo, para que possamos tomar as medidas necessárias”. A denúncia pode ser feita pelo menu de ajuda do próprio app ou pelo site.

Segundo a empresa, mais de 28 milhões de verificações com motoristas foram realizadas na América Latina desde então.

Veja também

+ Tenha também a Istoé no Google Notícias
+ Canadá anuncia primeira morte de pessoa vacinada com AstraZeneca no país
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Decifrado código dos Manuscritos do Mar Morto
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS