Esportes

‘Receber a tocha olímpica neste lugar sagrado é único’, festeja Giovane na Grécia

Primeiro brasileiro a ter carregado a tocha olímpica dos Jogos do Rio-2016, fato ocorrido na cerimônia de acendimento da mesma na cidade grega de Olímpia, nesta quinta-feira, Giovane Gávio não escondeu a emoção por ter sido premiado com esta honraria ímpar de sua carreira. Bicampeão olímpico com a seleção de vôlei com os ouros obtidos em Barcelona-1992 e Atenas-2004, o ex-jogador festejou o momento de forma efusiva.

“Estou muito emocionado. Está até difícil falar. Receber a tocha aqui neste lugar sagrado é único, fantástico”, afirmou Giovane, hoje gerente de competição para o vôlei no Comitê Organizador do Rio-2016, que carregou o símbolo olímpico após recebê-lo das mãos do ginasta grego Eleftherios Petrounias, em cerimônia que deu início ao revezamento do objeto que passará por Grécia, Suíça e mais de 300 cidades do Brasil até chegar ao Estádio do Maracanã, no dia 5 de agosto, palco da cerimônia de abertura da Olimpíada.

E Giovane destacou que relembrou de vários momentos de sua carreira antes de ganhar a honraria de ser o primeiro brasileiro a carregar a tocha olímpica do Rio-2016. “No ensaio já passou um filme na minha cabeça. Todo o meu passado, meus momentos na quadra, os companheiros que me ajudaram a chegar até aqui, o presente, por estar vivendo no Brasil os Jogos Olímpicos, ajudando a organizar, e o futuro que, com certeza, vai ser no esporte”, completou.

Um dos atletas mais vitoriosos da história do País, Giovane também enfatizou a importância que o esporte tem como instrumento de transformação das pessoas e da própria sociedade. E isso em um momento no qual o Brasil atravessa grave crise política e econômica justamente no ano em que abrigará os Jogos Olímpicos.

“Quero agradecer e dizer a todos os atletas que estaremos torcendo muito por eles nos Jogos. Vai ser fantástico. Mas esporte não é só conquista de medalhas. Junto com a educação e com seus valores, pode transformar a vida de crianças, jovens e adultos. Principalmente no momento em que estamos vivendo no País, precisamos resgatar nossa unidade. No fundo, somos todos brasileiros”, disse.

+ Exclusivo: como Prost fez Senna perder o contrato com a Ferrari

Além de faturar dois ouros olímpicos, Giovane foi campeão mundial em 2002, ganhou quatro vezes a Liga Mundial, em 1993, 2001, 2003 e 2004, entre outros vários títulos que acumulou em sua carreira no vôlei.

Veja também

+ Marco Pigossi sobre reprise da novela Fina Estampa: “Tinha que ser proibida de ser reprisada”

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?