Edição nº2573 18/04 Ver edições anteriores

Queiroz grava vídeo divertindo-se, mas não se explica à Justiça

  1. Fabrício Queiroz, ex-motorista do deputado Flávio Bolsonaro, gravou um vídeo na noite do dia 31 de dezembro do ano passado quando estava internado no Hospital Albert Einstein para uma cirurgia no intestino. Segundo ele, a cirurgia era para tirar um tumor. Nesse vídeo o ex-motorista aparece dançando com as duas filhas ainda portando o soro antes da cirurgia. Uma das filhas brinca com o pai dizendo que agora é vídeo, aparentemente comemorando a passagem de ano dentro do hospital.

De acordo com o advogado, Queiroz de prepara para a defesa sobre o R$ 1,2 milhão depositado em suas contas. Até agora Queiroz ainda não deu explicações satisfatórias sobre o dinheiro depositado em sua conta. Queiroz chegou a depositar R$ 24 mil na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro. Ao explicar porque Queiroz dança alegremente no hospital, o advogado Paulo Klein diz que é preciso compreender o momento humanitário de seu cliente, que se preparava para uma grave cirurgia.

Queiroz divulgou novo vídeo na tarde deste sábado. Diz que ficou revoltado com a repercussão do vídeo anterior. “Dizem que eu comemorava não ter me apresentado ao Ministério Público. Isso não é verdade”. Segundo ele, apenas comemorava a passagem de ano no hospital. Queiroz diz que fez a cirurgia no dia 1º e tirou o tumor e que agora se submete a tratamento. Promete que logo que esteja bem, vai prestar os esclarecimentos necessários. .


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.