Cultura

Que seja infinito e que seja com Clara

Virgílio busca controlar sua vida nos mínimos detalhes até que um recado deixado em sua secretária eletrônica por uma mulher o deixa abalado: Clara está terminando com ele, não é mais possível continuar o relacionamento dos dois. E desliga. Mas, quem é Clara? Virgílio não se lembra dela, nem de ter se relacionado com ninguém. Os amigos comentam, os colegas de trabalho perguntam, todos de alguma forma sabiam da relação dos dois, menos ele. É nesse momento que Virgílio, vivido por Mateus Solano, parte em busca dessa mulher misteriosa que, talvez, seja o amor da sua vida.

Talvez uma história de amor

(Brasil/2017, 101 min.) Dir. de Rodrigo Bernardo. Com Mateus Solano, Thaila Ayala, Bianca Comparato

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.