Esportes

“Quando Kobe morreu, uma parte de mim também morreu”, diz Jordan entre lágrimas

Com lágrimas escorrendo pelo rosto, a lenda da NBA Michael Jordan deu nesta segunda-feira (24) um emotivo discurso durante o tributo a seu “irmão caçula” Kobe Bryant, que faleceu em um acidente de helicóptero em 26 de janeiro, em Los Angeles.

“Quando Kobe morreu, uma parte de mim também morreu. E, olhando para este telão e para todo mundo, sei que uma parte de vocês também morreu”, declarou a ex-estrela do Chicago Bulls, considerado por muitos como o maior jogador da história do basquete.

Jordan, grande ídolo da infância de Kobe Bryant, revelou que ambos eram unidos por uma amizade muito mais profunda do que as pessoas imaginavam.

“Todo mundo queria falar de comparações entre ele e eu, quando eu, na verdade, tinha um grande orgulho da relação que construímos”, continuou Jordan, de 57 anos.

O mítico camisa 23 dos Bulls lembrou como se inspirava da paixão com que Bryant encarou a carreira e também seus projetos pós-aposentadoria das quadras.

“A forma como ele me olhava era um desafio. E eu o admirei por sua paixão, porque raramente se vê esta paixão em alguém que está tentando melhorar a cada dia, não só no esporte, mas também como pai e como marido”, revelou Jordan diante da viúva de Kobe, Vanessa, e de 20.000 fãs que foram ao Staples Center de Los Angeles para prestar uma última homenagem ao ídolo, falecido ao lado da filha Gianna e de outras sete pessoas em um acidente de helicóptero.

– Shaq ressalta a lealdade de Kobe –

Jordan revelou que Kobe costumava ligar para sua casa a qualquer hora, até de madrugada, para falar sobre jogos, negócios ou qualquer outro aspecto da vida.

“No início, era exasperante (…) Mas logo sempre conseguia tirar o melhor de cada pessoa. Ele fez isso comigo”, afirmou Jordan. “Ele sempre quis ser o melhor jogador de basquete possível, e conseguiu”.

“Prometo a vocês, deste dia em diante, que viverei com as lembranças e sabendo que tive um irmão caçula que tentei ajudar de todas as maneiras. Descanse em paz, meu irmãozinho”, concluiu Jordan, que deu a palavra a Shaquille O’Neal, ex-companheiro de Kobe nos Lakers.

“Kobe e eu sempre tivemos um profundo respeito e amor um pelo outro”, declarou o ex-pivô, que conquistou ao lado de Kobe três títulos da NBA com os Lakers entre 2000 e 2002 antes de se separarem em meio a diversos desentendimentos pessoais.

“Como todos sabem, tivemos uma complexa relação durante anos. Nos motivamos um ao outro para mostrar o melhor basquete de todos os tempos e tenho orgulho dos três campeonatos seguidos que ganhamos (…) Kobe foi um amigo leal”, reconheceu O’Neal.

jt-gbv/cl/am