Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Nesta sexta-feira (08), a polícia do Rio de Janeiro prendeu uma quadrilha que usava microcâmeras nos caixas eletrônicos para capturar as senhas de beneficiários do auxílio emergencial, clonar cartões e sacar o dinheiro de programas sociais disponíveis na Caixa Econômica Federal.

O grupo instalava equipamentos de leitura e clonagem de cartões, o popular “chupa-cabra”, nos caixas eletrônicos de agências da Caixa do Rio, escondendo as microcâmeras. Com os dados verdadeiros dos beneficiários, a quadrilha efetuava os saques.

Os suspeitos foram identificados como Francisco José de Oliveira, Alexandre Rodrigues Lima e Clóvis Lima de Oliveira. A prisão foi efetuada por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), com apoio da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA).

De acordo com as autoridades, os criminosos atuavam em diversos municípios do estado do Rio de Janeiro há meses, realizando furtos de forma estável e planejada, inclusive com rígida divisão de tarefas e funções.

“Esses indivíduos tinham um escritório num apartamento na Zona Oeste da cidade, com diversos formatos de frentes e bases de caixas eletrônicos nos quais eles pudessem trabalhar. O local era tão bem preparado que eles utilizavam a cozinha do apartamento para fazer a pintura das placas, onde eles colocavam as tampas (com as microcâmeras e chupa-cabras) nos caixas eletrônicos”, disse Gustavo Rodrigues, delegado da DRF, ao G1.

Os agentes também apreenderam uma grande quantidade de material que era utilizado para a prática dos crimes, como cartões clonados com suas senhas anotadas; chupa-cabras; e frentes de caixas eletrônicos com as microcâmeras. Policiais ainda apreenderam a contabilidade do grupo, que indicava a participação de outros integrantes na quadrilha, o que leva as autoridades a continuarem investigando o caso para identificar e prender o restante do bando.