Mundo

‘Putin escolheu uma guerra que trará perda catastrófica de vidas’, diz Joe Biden

‘Putin escolheu uma guerra que trará perda catastrófica de vidas’, diz Joe Biden

(Photo by Brendan Smialowski / AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, condenou em um comunicado da Casa Branca, na noite desta quarta-feira (23), a decisão do presidente da Rússia, Vladimir Putin, de autorizar uma operação militar especial no leste da Ucrânia. As informações são do g1.

+ Vladimir Putin anuncia ‘operação militar especial’ no Leste da Ucrânia


+ Ucrânia declara estado de emergência e convoca cidadãos a voltarem da Rússia

+ Imagens mostram novas mobilizações no oeste da Rússia perto da fronteira com Ucrânia

+ Erdogan diz a Putin que Turquia não reconhece medidas contra integridade territorial da Ucrânia

“As orações do mundo estão com o povo da Ucrânia esta noite, que sofre um ataque não provocado e injustificado das forças militares russas. O presidente Putin escolheu uma guerra premeditada que trará uma perda catastrófica de vidas e sofrimento humano”, disse Biden.

“A Rússia sozinha é responsável pela morte e destruição que este ataque trará, e os Estados Unidos e seus aliados e parceiros responderão de forma unida e decisiva. O mundo responsabilizará a Rússia”, segue o comunicado do presidente dos EUA.

“Estarei monitorando a situação da Casa Branca esta noite e continuarei recebendo atualizações regulares da minha equipe de segurança nacional. Amanhã, me encontrarei com meus colegas do G7 pela manhã e depois falarei com o povo americano para anunciar as outras consequências que os Estados Unidos e nossos aliados e parceiros imporão à Rússia por esse ato desnecessário de agressão contra a Ucrânia e a paz e a segurança globais”, diz a nota emitida pela Casa Branca.

Biden finaliza a mensagem dizendo que os EUA e os aliados da OTAN darão uma resposta forte e unida, e que ele e a primeira-dama Jill Biden vão orar pelo povo da Ucrânia.

“Também iremos coordenar com os nossos Aliados da OTAN para assegurar uma resposta forte e unida que impeça qualquer agressão contra a Aliança. Esta noite, Jill e eu estamos orando pelo corajoso e orgulhoso povo da Ucrânia”, finaliza o comunicado.