Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Após conseguir barrar a transferência de domicílio eleitoral de Sergio Moro (União Brasil), o PT agora pretende entrar com uma ação para cassar a candidatura do ex-juiz no Paraná. As informações são do jornal O Globo.

A alegação do partido é que Moro estaria com a ficha de filiação irregular no Paraná. O PT afirma, com base em consulta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que a filiação deve ocorrer no local onde a pessoa vai se candidatar. Moro não teria cumprido o prazo legal, porém, pois sua filiação no União Brasil aconteceu em São Paulo.

“Independentemente de o União Brasil validar ou não o vínculo, a nosso ver, Moro não possui filiação válida ou domicílio eleitoral no estado do Paraná dentro do prazo estabelecido em lei. É uma situação clara e objetiva de ausência de elegibilidade. Moro poder votar como qualquer cidadão, mas não ser votado”, disse Luiz Eduardo Peccini, advogado do PT no Paraná.

Gustado Guedes, advogado de Moro, foi procurado pela publicação e afirmou que a situação do candidato é legal. “Sobre sua filiação, importa destacar que a decisão do TRE-SP não atingiu sua condição de filiado do União Brasil e, tendo respeitado o prazo determinado pela lei, assim como as demais condições para ser candidato, está à disposição do partido para a disputa nas eleições de 2022”, declarou.

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) também disse que vai acionar a Justiça caso Rosangela Moro, esposa do ex-ministro, tente ser candidata pelo estado de São Paulo.