Brasil

PSOL entra com representação na PGR contra Eduardo Bolsonaro

O PSOL protocolou nesta segunda-feira, 22, uma representação junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), com um pedido para que o parlamentar seja investigado por eventuais crimes que ele possa ter praticado.

Em um vídeo, Eduardo afirma que para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF), basta “um soldado e um cabo”. No texto apresentado à PGR, o PSOL afirma que o parlamentar “teria atentado contra o Estado de direito, ameaçado contra a democracia e indo contra as instituições constitucionalmente estabelecidas”.

Na representação, o partido pede que o Ministério Público Federal (MPF) instaure inquérito para apurar eventuais ilícitos e crimes praticados pelo deputado do PSL. “As declarações são gravíssimas por si só”, afirma o PSOL em nota. Para a legenda, o período eleitoral agrava ainda mais as citações.

“Espero que a PGR proponha medidas exemplares para defender o Estado Democrático de Direito”, afirmou, em nota, o presidente nacional do partido, Juliano Medeiros.