Economia

Provavelmente na semana que vem enviamos estudos da Ferrogrão ao TCU, diz Freitas

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse nesta sexta-feira (10) que “provavelmente” a pasta enviará os estudos para concessão da Ferrogrão ao Tribunal de Contas da União (TCU) na próxima semana.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou nesta semana o plano de outorga do projeto. A ferrovia vai ligar Mato Grosso e Pará, com foco no escoamento de grãos, e é uma das apostas do governo federal para o setor ferroviário.

A taxa de retorno do projeto é de 11,04% ao ano, com investimento (capex) de R$ 8,4 bilhões, e opex de R$ 60,15 bilhões. O projeto sofreu algumas alterações em relação ao que foi publicado na consulta pública. Uma delas é o período da concessão, que aumentou de 65 anos para 69 anos.

Segundo os estudos, a construção da ferrovia deve ser feita até 2029, com início da operação em 2030. De acordo com o ministério, o potencial é de geração de quase 30 mil empregos diretos, com redução de R$ 19,2 bilhões no custo do frete.

‘Discussão sobre frete do minério em ferrovias da Vale evolui bem’

+ Exclusivo: como Prost fez Senna perder o contrato com a Ferrari

Freitas também afirmou que as discussões com o Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o valor do frete do minério nas ferrovias da Vale estão “evoluindo” bem. O tribunal analisa atualmente as renovações antecipadas das concessões da Estrada de Ferro Carajás e da Estrada de Ferro Vitória-Minas, ambas operadas pela Vale.

A área técnica do tribunal, no entanto, questionou a metodologia para definição da tarifa usada nos estudos para as prorrogações. Para eles, o formato apresentado desconsidera a metodologia já avaliada pelo Conselho Administrativa de Defesa da Concorrência (Cade).

Freitas afirmou, no entanto, que o ministério já apresentou argumentos ao TCU para mostrar que não faz sentido usar a metodologia do Cade, porque geraria “valores muito fora da realidade” dos preços teto definidos pelo governo. “Então estamos bem tranquilos sobre a metodologia estimada”, disse. A expectativa de Freitas é de que o TCU delibere sobre as renovações aconteça dentro de 30 ou 45 dias.

O ministro lembrou ainda que os valores das outorgas das duas renovações serão usadas para construções ferroviárias. Uma é o ramal Cariacica-Anchieta, no Espírito Santo. Segundo Freitas, nesse caso, o trecho deve ser anexado à concessão da Vitória-Minas.

Outra parte da outorga será destinada à ampliação da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico). Depois, o novo trecho é concedido.

Veja também

+ Marco Pigossi sobre reprise da novela Fina Estampa: “Tinha que ser proibida de ser reprisada”

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?