O Dia

Profissionais de Educação Física terão que pagar contribuição anual

Convenção determina o desconto de R$ 30 em folha. Empregados têm até o dia 20 para recusar

Rio – Foi definida em convenção coletiva a cobrança da contribuição assistencial de R$ 30 para profissionais que atuem em escolas, clubes, academias, condomínios, escolinhas e clínicas no município do Rio de Janeiro. O desconto será feito no contracheque, a menos que o empregado formalize sua oposição, comparecendo pessoalmente à sede do sindicato laboral, de 9h a 17h, nos primeiros 15 dias após a assinatura da convenção.

A convenção coletiva, firmada entre o Sindicato dos Profissionais de Educação Física do Rio de Janeiro (Sinpef-RJ) e o Sindicato das Academias do Rio de Janeiro (Sindacad), foi assinada no dia 5 de novembro. O Sinpef-RJ fica na Rua Sete de Setembro, número 88, sala 504, no Centro do Rio.

Representantes do Conselho Regional de Educação Física (CREF1 – ES/RJ), entre eles o vice-presidente, Ernani Contursi, participaram da assembleia que aprovou a cobrança dos R$ 30 e também da que aprovou o reajuste salarial de apenas 2% para a categoria, em outubro.

Profissional de Educação Física há 21 anos, Marcello Barbosa, de 50, acha a cobrança um absurdo. “Configura uma contribuição opcional e, mesmo assim, eles se utilizam de uma manobra para cobrar daqueles que não recusarem pessoalmente essa cobrança. Muitos profissionais não vão nem ficar sabendo”, afirma Barbosa, que trabalha com assessoria esportiva em hotéis e condomínios, e como consultor em fitness. Ele também já ocupou o cargo de subsecretário municipal de Esporte, de 2015 a 2016, e tem projetos esportivos em comunidades.

Faltou divulgação

“É um valor cobrado anualmente que não tem tanto impacto no orçamento das pessoas, mas a gente não vê sendo investido em benefício da categoria. Isso tinha que ter sido mais divulgado”. Outros profissionais também reclamaram da falta de transparência, reforçando que não houve ampla divulgação de que o profissional não tem a obrigação de pagar.

O Sinpef-RJ não retornou os contatos feitos por O DIA. No site, esclarece que sua função é “lutar pelos benefícios trabalhistas dos profissionais, além de realizar ações assistenciais, promovendo parcerias que propiciem benefícios na saúde, educação e lazer”.