ISTOÉ Gente

Processo de assédio sexual de James Franco é encerrado com acordo de R$ 11 milhões

Processo de assédio sexual de James Franco é encerrado com acordo de R$ 11 milhões

James Franco em 12 de novembro de 2017 em Hollywood


James Franco, acusado de pressionar alunas da extinta escola de atuação Studio 4 a realizarem cenas de sexo excessivamente explícitas em frente às câmeras, encerrou o processo de assédio sexual ligado a ele com um acordo de US$ 2,2 milhões, cerca de R$ 11 milhões.

Iran Ângelo, ex de Hulk, tem affair secreto com cantor de 19 anos segundo fonte

Bianca Andrade comemora chegada da 37ª semana de gestação e faz repouso

Ele e as entidades associadas a ele concordaram em pagar a quantia e a fiança pala finalizar a ação de conduta sexual inadequada. Duas ex-alunas do curso ministrado por James Franco, Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal, entraram com o processo em outubro de 2020. Elas alegaram ser vítimas de fraude, e receberão R$ 2,9 milhões. Com o acordo, elas e outros alunos se comprometeram a retirar as acusações ligadas ao ator. A proposta ainda precisa ser aprovada por um juiz em Los Angeles.

Um trecho do documento diz: “Embora os réus continuem a negar as alegações na queixa, eles reconhecem que os requerentes levantaram questões importantes; e todas as partes acreditam firmemente que agora é um momento crítico para se concentrar em lidar com os maus-tratos às mulheres em Hollywood. Todos concordam com a necessidade de garantir que ninguém na indústria do entretenimento – independentemente de raça, religião, deficiência, etnia, origem, gênero ou orientação sexual – enfrente discriminação, assédio ou preconceito de qualquer tipo.”