ISTOÉ Gente

Preta Gil diz ter sofrido pressão para esconder os fios brancos

Crédito: Reprodução/Instagram

Preta Gil contou que sofreu pressão estética de mulheres para esconder os seus fios de cabelos brancos, durante participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, na quarta-feira, 5.

“Já que eu sofri tanta pressão para pintar o cabelo, pintei de rosa”. A artista também contou que não se importa com essas cobranças. “Eu sou mulher em evolução”, explicou.

A cantora, que irá fazer 46 anos neste sábado, 8, já tinha se posicionando em seu Instagram na noite desta terça-feira, 4, sobre como tem ressignificado o sentido de envelhecer.

Segundo ela, não existe idade certa para ter cabelo colorido. “Eu deixo aqui meu recado: para ter cabelo colorido basta colorir! Não tem regras, não tem padrão! Gostou? Faz, se divirta, experimente”, sugeriu.

Preta Gil também comentou sobre a importância da representatividade de uma montagem que teve grande repercussão nas redes sociais. Na foto feita por Átila Britto e publicada nesta segunda-feira, 3, muitas artistas negras aparecem juntas, entre elas Preta, Beyoncé, Thelminha, Iza, Taís Araújo, Camila Pitanga, Cris Vianna e Lucy Ramos.

“Recebi muitas mensagens dizendo: tal mulher ficou de fora. Que bom que faltaram tantas mulheres nessa montagem, isso é sinal de evolução. Representatividade é tudo”, disse ela.

Veja também

+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel