Esportes

Presidente santista critica, mas aceita convocação de três atletas para a seleção

O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, criticou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pela convocação de três jogadores do seu clube para a Copa América Centenário. Nesta quinta-feira, o técnico Dunga definiu a lista de 23 jogadores que vão disputar o torneio nos Estados Unidos, no mês de junho, com Ricardo Oliveira, Gabriel e Lucas Lima.

“O fato de a CBF ter convocado três jogadores do mesmo time, significa um desrespeito com o campeonato que ela organiza, o Campeonato Brasileiro”, disse o mandatário santista.

Por outro lado, Modesto vai respeitar a convocação e prometeu um Santos fortalecido no Campeonato Brasileiro. “Nós vamos respeitar o desejo da CBF e temos a certeza que o Santos seguirá com o elenco forte em busca de vitórias durante este período que tivermos atletas servindo a seleção”, disse.

Se a seleção brasileira chegar à final, os santistas vão desfalcar a equipe em nove partidas. No caso do atacante Gabriel, que está na Copa América e deverá ser convocado para a Olimpíada, a ausência poderá chegar a 18 rodadas.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
+ Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel