Presidente reprovado

Crédito:  AFP

A MÁSCARA CAIU O presidente vem sendo criticado por sua inabilidade para enfrentar o coronavírus (Crédito: AFP)


Bolsonaro atingiu, em março, a sua mais baixa popularidade desde que assumiu o cargo, segundo a mais recente pesquisa feita pela XP Investimentos. No período de 16 a 18 de março, no auge do coronavírus, a corretora ouviu 1.000 investidores do mercado e concluiu que o presidente nunca esteve tão mal. Só 30% acham que ele é ótimo/bom (em fevereiro eram 34%), enquanto 36% entendem que é ruim/péssimo – 31% o consideram regular. Sua atuação frente ao coronavírus é deplorável. Para piorar, a avaliação da economia também é negativa. Em março, 48% achavam que a política econômica estava no caminho errado e só 38%, que estava no caminho certo. Em fevereiro, 47% acreditavam que Guedes estava indo bem e 40%, que estava errado. A situação se inverteu agora.

Economia

Guedes já não é mais visto como o salvador da pátria. O mercado considerava Bolsonaro inapto e o ministro
seu posto Ipiranga. Segundo a pesquisa XP, somente 32% acham que Guedes está se comportando bem na crise. Todos pedem que o governo encaminhe logo ao Congresso as reformas administrativa e tributária para que a crise seja mitigada.

Mandetta

O herói da vez é Mandetta: 56% consideram a atuação do ministro da Saúde positiva, incluindo aí também a ação dos governadores, que compensam a desastrosa atuação de Bolsonaro. Mandetta já está até provocando ciúmes nos Bolsonaros. Espera-se que o presidente e seus filhos não o ataquem, como fizeram no passado com outros ministros de sucesso.

Torneiras abertas

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Divulgação

Os governadores pediam que o governo federal destinasse R$ 15,6 bilhões por mês aos Estados para que enfrentassem o coronavírus. O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, se apressou em dizer que não teria como atendê-los, pois a União já terá um rombo de R$ 220 bilhões. Pressionado por governadores como João Doria, Bolsonaro acabou anunciando um aporte de R$ 88 bilhões para os Estados.

Rápidas

* Não é à toa que os bancos e o próprio governo já estimem uma queda brutal da economia para 2020: o crescimento de 2,1% previsto no final de 2019 virou pó. Agora, a previsão é de crescimento de 0,02%. Puro eufemismo. Na realidade, vamos ter mesmo é uma “débâcle”.

* As montadoras brasileiras de veículos paralisaram suas linhas de montagem por causa do coronavírus: 100 mil trabalhadores entraram em férias coletivas. Empresários já calculam que muitos vão quebrar. Recessão à vista.

* O governo brasileiro fechou os aeroportos para voos da Europa, China e outros 30 países, mas deixou os Estados Unidos de fora. Bolsonaro adora tanto Donald Trump que até o vírus americano é mais bem-vindo do que o chinês.

* Aliás, o ataque do deputado Eduardo Bolsonaro aos chineses não foi de graça. Os conservadores, como o guru Olavo de Carvalho, espalham nas redes que o coronavírus foi criado pelo Partido Comunista da China.

Retrato falado

“Em abril, o sistema de saúde entrará em colapso” (Crédito:AFP)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, tem sido aplaudido por todos por sua postura sincera diante da crise do coronavírus. Por isso mesmo, a sua declaração de que o sistema de saúde estará estrangulado até o mês que vem assustou a sociedade. Segundo ele, o Brasil poderá atingir, no mês que vem, a situação vivida hoje na Itália ou na China durante os meses de janeiro e fevereiro. O caos maior acontecerá no Sistema Único de Saúde (SUS), que atende os mais pobres.

Gripezinha

Bolsonaro continua sua trajetória insensata na presidência da República. Ninguém mais o leva a sério. Disse que a pandemia é uma “gripezinha”. Mais de 300 mil pessoas foram infectadas e quase 15 mil morreram no mundo, mas o brasileiro continua a fazer chacota. Enquanto as autoridades responsáveis do mundo recomendam que todos entrem em quarentena durante este período crítico, Bolsonaro vai para uma rede de rádio e televisão dizer que as pessoas têm de voltar ao normal e suspender o isolamento recomendado, de forma acertada, pelos governadores. Chegou a bater boca com o governador João Doria durante uma audiência por teleconferência na quarta-feira 25.

O vírus e a fé

O coronavírus tem dividido a opinião nas igrejas. Enquanto o bispo Edir Macedo, da Universal do Reino de Deus, diz que a Covid-19 “representa um apavoramento que não condiz com a realidade”, o arcebispo de São Paulo, dom Odílo Scherer, afirma que o “desprezo sobre a ciência é grande e pode provocar consequências desastrosas”. Rezar não faz mal.

Prévias

Essa reunião foi uma prévia do que poderemos ver no palanque em 2022. Bolsonaro atacou os governadores que determinaram medidas duras para combater a Covid-19 e o governador Doria defendeu a adoção de posturas firmes para enfrentar o vírus. Doria disse que Bolsonaro deveria liderar o país e não dividi-lo.

Templos fechados

Essa discussão tem levado a um impasse religioso: as igrejas devem permanecer fechadas na pandemia de coronavírus? Os evangélicos, como Bolsonaro, acham que não. Já os católicos recomendam que as missas sejam transmitidas pela Internet. Fechar os templos parece ser a decisão acertada. Afinal, a aglomeração de pessoas nos cultos pode ser fatal.

Toma lá dá cá

Coronel Tadeu, Deputado PSL-SP (Crédito:Divulgação)

O senhor acha que o coronavírus poderá provocar uma crise econômica?
O coronavírus vai trazer recessão à economia brasileira, mas o tamanho da crise dependerá do tempo em que permanecermos no isolamento social.

O governo tem tomando as medidas certas?
As medidas estão corretas. Devem minimizar o efeito do coronavírus. Temos que injetar dinheiro na economia para aqueles que ficarão sem realizar suas atividades econômicas.

O senhor defende que o dinheiro do fundo eleitoral seja repassado à Saúde. Como isso se dará?
Temos R$ 2 bilhões para a campanha eleitoral e R$ 1 bilhão para o TSE realizar as eleições. Sugiro que o pleito seja adiado para 2022 e os recursos destinados para o combate ao vírus.

O vírus e a fé

O coronavírus tem dividido a opinião nas igrejas. Enquanto o bispo Edir Macedo, da Universal do Reino de Deus, diz que a Covid-19 “representa um apavoramento que não condiz com a realidade”, o arcebispo de São Paulo, dom Odílo Scherer, afirma que o “desprezo sobre a ciência é grande e pode provocar consequências desastrosas”. Rezar não faz mal.

Templos fechados

Essa discussão tem levado a um impasse religioso: as igrejas devem permanecer fechadas na pandemia de coronavírus? Os evangélicos, como Bolsonaro, acham que não. Já os católicos recomendam que as missas sejam transmitidas pela Internet. Fechar os templos parece ser a decisão acertada. Afinal, a aglomeração de pessoas nos cultos pode ser fatal.

Coronair

Alexssandro Loyola

O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), que formalizou o pedido de impeachment de Jair Bolsonaro, afirmou que o presidente “trouxe um avião de coronavírus para o Brasil”. Se refere à viagem presidencial aos Estados Unidos, quando vinte e três pessoas da comitiva voltaram infectadas.

 

 

Veja também
+ Sabrina Sato mostra corpo musculoso em clique na floresta
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.