Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Juliano Medeiros, presidente do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), criticou a fusão entre o Partido Social Liberal (PSL) e Democratas (DEM) aprovada nesta quarta-feira (06). Para ele, a junção das siglas atacará os direitos da população brasileira.

Segundo Juliano, ele será oposição ao União Brasil (novo nome dos partidos unidos), que seguirá os mesmos posicionamentos das antigas siglas. “Hoje ocorre a fusão do DEM, um dos herdeiros da Arena, partido da ditadura militar, com o PSL, legenda de aluguel que foi tomada pelo bolsonarismo em 2018. Não tem como sair coisa boa daí. O novo partido nasce para atacar os direitos do povo. Estaremos na trincheira oposta!”, afirmou.

A junção de PSL e DEM poderá formar o maior partido do país, tanto em número de parlamentares na bancada da Câmara, como em valores do fundo partidário. Além disso, a nova sigla poderá ter mais tempo de TV do que os outros partidos.

Em caso de aprovação da fusão pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o novo partido contará com 81 deputados federais, sete senadores, três governadores e R$ 160 milhões em valores do fundo partidário.