Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

O presidente do Banco do México, Agustín Carstens, afirmou nesta quinta-feira que a recente queda do peso para mínimas históricas foi uma reação excessiva, em meio a incertezas sobre o novo governo dos Estados Unidos, sob o comando do presidente eleito Donald Trump. Declarações de Trump geram preocupações sobre o futuro das relações de comércio e investimento com os EUA.

Em evento na Cidade do México, Carstens afirmou que o enfraquecimento do peso era normal, já que a elevação nas taxas de juros internacionais leva a ajustes nos portfólios de investimento. Mas “eu acho que nós tivemos uma reação excessiva no câmbio”, acrescentou.

O BC mexicano vendeu US$ 2 bilhões de suas reservas na semana passada para apoiar o peso, após a moeda recuar fortemente em resposta à decisão da Ford Motor de cancelar a construção de uma fábrica em território mexicano. Há o temor de que outros investimentos possam ser cancelados.

O peso tocou mínima recorde nesta quarta-feira, chegando a 22,05 pesos por dólar antes da primeira entrevista coletiva de Trump desde a eleição. A moeda se recuperou um pouco após a coletiva, na qual Trump falou sobre a construção de um muro na fronteira e a imposição de um imposto na fronteira sobre importações de companhias que deixam os EUA, mas sem anunciar novas medidas.

Carstens disse que as intervenções cambiais do banco central poderiam ajudar a tornar mais ordenadas as mudanças na taxa cambial, mas que autoridades não buscavam tornar mais suaves os ajustes na taxa causados pelas condições econômicas. Fonte: Dow Jones Newswires.