A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) comunicou que o preparador físico Diego Falcão não faz mais parte da comissão técnica da delegação da seleção feminina. Ele foi demitido após fazer postagens contra o aborto. As próprias atletas fizeram coro pela saída.

“Qualquer país que aceite o aborto não está ensinando o seu povo a amar, mas a usar qualquer violência para conseguir o que deseja”, escreveu em suas redes sociais, sendo claramente a favor do Projeto de Lei (PL) 1904/2023, que visa alterar o Código Penal para equiparar o aberto em gestações acima de 22 semanas ao crime de homicídio.

Apesar de anunciar a saída de Diego Falcão, a CBB não divulgou o real motivo pela tomada de decisão. Ele não tem um vínculo oficial com a entidade, e recebia como ‘prestador de serviço’. Ao que tudo indica, é que não havia mais clima para a continuidade do preparador físico na equipe brasileira.

“Inacreditável que um profissional, que trabalha com o feminino, demonstre esse tipo de posicionamento nas redes sociais. O estupro é um crime grave. Que as mulheres tenham o direito de decidir e expressar sua opinião sobre isso. É essencial que nossa confederação se posicione de forma clara e adequada a esse assunto tão sério”, disse a atleta da WNBA Damiris Dantas.

Diego Falcão trabalhou na seleção brasileira desde 2015 após passagem pelo Flamengo. Ele esteve no grupo que disputou os Jogos Olímpicos Rio-2016.