Tecnologia & Meio ambiente

Premiê japonês visita Hokkaido após terremoto que deixou 42 mortos

Premiê japonês visita Hokkaido após terremoto que deixou 42 mortos

Equipes de resgate da Polícia de Tóquio em busca de desaparecidos em Atsuma, em 9 de setembro de 2018 - JIJI PRESS/AFP

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, visitou neste domingo (9) a região de Hokkaido, atingida por um terremoto que deixou 42 mortos – de acordo com novo balanço das autoridades.

Abe visitou Sapporo, a principal cidade da região, onde o terremoto de magnitude 6,6 de quinta-feira causou desabamentos de casas e danificou estradas.

A maioria dos mortos foi registrada na pequena localidade rural de Atsuma, onde várias casas foram destruídas pelo deslizamento de uma encosta.

O premiê também visitou os abrigos em Atsuma antes de se reunir com o governador de Hokkaido, Harumi Takahashi.

A visita do primeiro-ministro acontece, enquanto têm prosseguimento as operações de busca e resgate para encontrar duas pessoas ainda desaparecidas.

Depois da visita, Abe voltou para Tóquio para participar de um conselho extraordinário de ministros que deve conceder 540 milhões de ienes (4,2 milhões de euros) de ajuda à região afetada.

Abe anunciou um novo balanço de 42 mortos, segundo a imprensa japonesa. Neste domingo, porém, as autoridades locais ainda reportavam 29 mortos e um desaparecido.

“Há chuvas intermitentes em Atsuma. Os trabalhos continuam para buscar as pessoas desaparecidas”, disse à AFP um funcionário regional de gestão de desastres.

O governo central enviou milhares de agentes, incluindo as Forças de Autodefesa, para buscar os desaparecidos com a ajuda de escavadeiras, cães e helicópteros.

O terremoto de quinta-feira foi o último desastre natural ocorrido no país nas últimas semanas, após o tufão mais potente a atingir o Japão em um quarto de século. Pelo menos 11 pessoas morreram, e o principal aeroporto regional precisou ser fechado.