Mundo

Premiê do Sri Lanka condena ‘ataques covardes’

Premiê do Sri Lanka condena ‘ataques covardes’

Premiê do Sri Lanka, Ranil Wickremasinghe (2º à dir.), chega a um dos lugares atacados, o santuário de Santo Antônio, em Kochchikade, Colombo, em 21 de abril de 2019 - AFP

O primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, condenou os “ataques covardes” contra três igrejas e três hotéis de luxo, neste domingo (21), no país, e disse que seu governo trabalha para “conter a situação”.

Até agora, o número de vítimas chega a 207 mortos e 405 feridos. Muitas pessoas assistiam à missa por ocasião da Páscoa.

“Condeno energicamente os ataques covardes de hoje contra o nosso povo”, tuitou Wickremesinghe.

“Faço um apelo a todos os cingaleses que permaneçam unidos e fortes neste momento trágico […] O governo está tomando medidas imediatas para conter a situação”, completou.

Adotando um tom mais duro do que o premiê, o arcebispo de Colombo pediu ao governo do Sri Lanka que “puna sem piedade” os responsáveis pelos atentados.

“Queria pedir ao governo que faça uma investigação sólida e imparcial para determinar quem é responsável por este ato e também que os puna sem piedade, porque apenas animais podem se comportar assim”, declarou o arcebispo Malcom Ranjit.

Ele também convidou a população a “não fazer justiça com as próprias mãos e a manter a paz e a harmonia neste país”.

“Peço também aos que puderem que doem sangue para ajudar os que estão feridos”, acrescentou o cardeal.