Economia

Preço da gasolina cai e IPCA-15 desacelera alta a 0,58% em janeiro, mas alimentos sobem

Preço da gasolina cai e IPCA-15 desacelera alta a 0,58% em janeiro, mas alimentos sobem

Posto de combustíveis em Cuiabá

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) – O IPCA-15 iniciou 2022 mostrando desaceleração da alta diante da queda nos preços da gasolina e passagens aéreas, depois de a inflação ter disparado no ano passado, com o Banco Central pressionado para conter o avanço dos preços no país.


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia da inflação brasileira, teve alta de 0,58% em janeiro, abaixo da taxa de 0,78% de dezembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

Mas o resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters com economistas apontando um avanço de 0,43% no mês, embora a leitura marque o nível mais baixo desde maio do ano passado (+0,44%).

Em 12 meses até janeiro, a alta acumulada do IPCA-15 passou a 10,20%, depois de ter encerrado o ano passado a 10,42%. A meta de inflação para 2022 é de 3,5%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos, medida pelo IPCA..

No ano passado, a inflação medida pelo IPCA sofreu sob o peso de combustíveis, alimentos e energia elétrica, terminando com avanço acumulado de 10,06% e bem acima do teto do objetivo, que era de 5,25%.

Já 2022 começou com quedas de 1,78% nos preços da gasolina e de 18,21% das passagens aéreas, segundo o IBGE. Também recuaram os custos de etanol (-3,89%) e gás veicular (-0,26%) no período, levando o grupo Transportes a registrar deflação de 0,41%, depois de uma disparada de 2,31% em dezembro.

Mas a cautela com os aumentos de preços se mantém, já que os outros oito grupos pesquisados tiveram alta em janeiro. Alimentação e bebidas, que tem forte peso no orçamento das famílias, subiu 0,97%, acelerando com força em relação à taxa de 0,35% de dezembro.

A alta de alimentação no domicílio passou de 0,46% em dezembro para 1,03% em janeiro, com os maiores impactos vindo de cebola (17,09%), frutas (7,10%), café moído (6,50%) e carnes (1,15%).

A alimentação fora do domicílio também acelerou o avanço a 0,81%, de 0,08% no mês anterior, com o lanche passando de queda de 3,47% em dezembro para alta de 1,25% no IPCA-15 de janeiro.

O aumento dos custos de Habitação, por sua vez, desacelerou a 0,62% em janeiro de 0,90% antes, com o maior peso vindo da alta de 1,55% do aluguel residencial. Já a energia elétrica, subitem de maior peso dentro do grupo, teve variação positiva de 0,03% em janeiro.

A forte pressão inflacionária fez com que o Banco Central intensificasse o aperto monetário, levando a taxa básica de juros Selic a 9,25% em dezembro.

Para a primeira reunião de 2022, em fevereiro, a expectativa é de novo aumento de 1,5 ponto percentual, levando a taxa para 10,75%. A pesquisa Focus mostra que os especialistas consultados pela autoridade monetária veem a Selic a 11,75% ao final deste ano, com a inflação em 5,5%.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0P0JU-BASEIMAGE





Tópicos

Updated