Economia

Postura atual de política monetária do Fed é ‘apropriada’, diz Powell


O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, reforçou nesta quinta-feira, 4, que a postura atual de política monetária da instituição é “apropriada”. Durante um evento virtual organizado pelo Wall Street Journal, o dirigente afirmou que não haverá alta de juros até que as condições macroeconômicas estejam “satisfeitas”, ou seja, até que o Fed esteja no caminho para cumprir suas metas de inflação e emprego.

“O guidance do Fed é baseado em resultados”, declarou Powell.

Segundo o presidente do BC americano, a economia ainda tem um “longo” caminho até a recuperação completa da crise gerada pela pandemia de covid-19.

Ele também ressaltou que ainda levará “algum tempo” para que os Estados Unidos alcancem o máximo emprego. “Não aumentaremos juro apenas porque o emprego aumentou”, afirmou o dirigente. Powell disse, ainda, que quer ver um incremento nos salários dos trabalhadores.

Nesta quinta-feira, Powell afirmou que estaria preocupado com o movimento recente no mercado de Treasuries apenas se houvesse um aperto “consistente” e “persistente” nas condições financeiras. Pela primeira vez, ele disse que a inclinação na curva de juros americana chamou sua atenção.


+ Homem que vivia ‘casado’ com a própria filha é preso após polícia investigar agressão contra criança
+ Família de Schumacher coloca mansão à venda por R$ 400 milhões
+ Pão de Queijo: faça uma das receitas mais gostosas do Brasil



Segundo Powell, as condições financeiras nos Estados Unidos estão “altamente acomodatícias” no momento. O dirigente frisou que, se houver uma “mudança substancial”, o Fed estará preparado para usar suas ferramentas. Ele, contudo, não detalhou quais medidas seriam tomadas.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a alta recente nos juros de longo prazo no mundo, impulsionada pelo aumento das expectativas inflacionárias, revelou uma divergência entre o mercado e os principais bancos centrais.

A comunicação do Fed entrou em evidência após dirigentes da instituição minimizarem os riscos de disparada dos preços, que poderiam derivar dos estímulos fiscais e monetários sem precedentes nos EUA.

Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS