ISTOÉ Gente

“Posso pegar de novo”, diz Gabriela Pugliesi sobre não ter mais anticorpos do coronavírus

Crédito: Reprodução/Instagram

.No começo da quarentena, Gabriela Pugliesi foi muito criticada nas redes sociais por reunir os amigos e continuar saindo, até que ela pegou Covid-19. A influenciadora usou o Instagram para compartilhar com os seguidores que não tem mais os anticorpos da doença e, por isso, pode ser infectada e desenvolver o problema novamente.

Modelo expõe homens que dão em cima dela e ajuda mulheres a descobrirem infiéis

Irmão de Liam Gallagher teria recusado R$ 712 milhões para reunião do Oasis

“Só pra falar que saiu resultados e eu não tenho mais os anticorpos do coronavírus. Não estou imune, tá? Já peguei e posso pegar de novo. Mais um argumento para você ficar em casa e não fazer festa e oba oba”, começou Gabriela. A musa fitness também explicou que ficou com poucas sequelas da doença. “Tenho um mínimo resquício no pulmão, que saiu também o resultado da tomografia de tórax que fiz ontem. Falei que até hoje tenho um pouco de falta de ar, com certeza deve ser sequela do corona, mas deu baixo, menos de 1%. Nas minhas noias, talvez vá em um pneumologista. Vim falar porque muita gente perguntou do resultado”, completou.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel