Esportes

Por crime de corrupção, Fifa bane dirigente do Panamá por toda a vida

Mais um dirigente das Américas foi punido por envolvimento em casos de corrupção. Nesta quinta-feira, em Zurique, na Suíça, o Comitê de Ética da Fifa anunciou o banimento por toda a vida do panamenho Ariel Alvarado de qualquer atividade ligada ao futebol. Ironicamente, ele era membro do Comitê Disciplinar da entidade.

De acordo com o comunicado oficial, Ariel Alvarado participou de casos de suborno entre 2009 e 2011 para a organização de partidas da seleção do Panamá pela Fepafut (Federação Panamenha de Futebol, na sigla em espanhol) e com relação a direitos televisivos e de marketing da Concacaf, entidade que comando o futebol nas Américas do Norte e Central e no Caribe, na qual era membro do Comitê Executivo.

Além do banimento por toda a vida, Ariel Alvarado terá de pagar uma multa de pouco mais US$ 510 mil (cerca de R$ 2,07 milhões). A punição tem validade imediata, já que o dirigente panamenho já foi informado oficialmente da decisão do Comitê de Ética da Fifa.

A punição ao dirigente do Panamá faz parte de uma sequência de sanções anunciadas pela Fifa nas últimas semanas. Antes de Ariel Alvarado, a entidade anunciou a suspensão definitiva de Ricardo Teixeira do futebol. Presidente da CBF entre 1989 e 2012 e ex-membro do antigo Comitê Executivo da Fifa, o brasileiro foi banido por decisão do Comitê de Ética, que chegou à conclusão de que Teixeira cometeu crime de corrupção em suas ações no esporte entre os anos de 2006 a 2012.