A defesa de Débora Custódio, acusada de atacar uma jovem que voltava da academia com “ácido” durante a tarde da quarta-feira, 22, no Centro de Jacarezinho (PR) – cidade que fica a cerca de 385 quilômetros de Curitiba – alegou que a suspeita não teve a intenção de cometer um homicídio.

Um pedido para garantia de uma cela especial para a detida também será submetido às autoridades na próxima segunda-feira, 3, de acordo com a defesa.

Isabelly Ferreira Aparecida Moro, de 23 anos, sofreu ferimentos após ser atingida por uma substância corrosiva e foi hospitalizada em estado grave, com ferimentos no rosto, peito e boca, já que teria ingerido parte do líquido. A acusada relatou às forças de segurança ter jogado uma mistura de soda cáustica com água na jovem, mas o material ainda passará por perícia.

+ Mulher roubou peruca da avó para jogar ‘ácido’ em jovem que voltava da academia no PR, afirma delegado

+ PR: jovem atacada com ácido consegue falar e respirar sem ajuda de aparelhos

Em contato com a IstoÉ, o advogado Jean Campos, que faz a defesa de Débora Custódio, declarou por meio de um comunicado que a detida “jamais teve a intenção de cometer o crime de homicídio”. “Os fatos demonstram que a acusada se enquadra exclusivamente no crime de lesão corporal”, pontuou.

A mulher usou uma peruca roubada da avó e um batom vermelho como disfarce para não ser reconhecida pela vítima, conforme a Polícia Civil do Paraná. Depois de ser presa pelas autoridades, a suspeita confessou que atacou a jovem por ciúmes, já que Isabelly é a ex-companheira de um homem que já teve envolvimento com a detida.

Para a defesa da suspeita, o comportamento de Isabelly em fazer “provocações” à acusada contribuiu com o acontecido.

Relembre o caso

Isabelly Ferreira, de 23 anos, retornava da academia quando foi atacada com uma substância corrosiva que feriu seu rosto, pescoço, peito e boca. A vítima chegou a ingerir parte do líquido.

Na gravação, é possível ver a vítima, com roupa preta e boné, correndo pela calçada e tentando pedir ajuda. A mulher cai no chão duas vezes até populares conferirem o que estava acontecendo.

Cerca de dois dias após o ocorrido, a Polícia Militar do Paraná informou que as autoridades foram acionadas por uma mulher que estava pedindo socorro no pátio de um hotel de Jacarezinho. No local, Débora Custódio alegou que estava sendo perseguida por quatro homens e não sabia o motivo.

Conforme a corporação, a mulher afirmou que estava escondida em um matagal desde a quarta-feira, 22, dia em que Isabelly Ferreira foi atacada. Por desconfiança, os agentes da PM questionaram a suspeita e ela assumiu a autoria do crime, segundo as forças de segurança.

De acordo com a Polícia Civil do Paraná, a pessoa que atirou ácido no rosto da jovem de 23 anos estava com uma peruca loira. A mulher disse aos PMs que dispensou o item em um matagal.

Débora Custódio afirmou às autoridades que Isabelly Ferreira teve uma relação com seu ex-companheiro, o que a fez arremessar uma substância composta por água e soda cáustica na jovem.