Mundo

Pompeo se recusa a apoiar solução de dois Estados após promessa de Netanyahu

Pompeo se recusa a apoiar solução de dois Estados após promessa de Netanyahu

Os manifestantes do grupo pacifista de esquerda Code Pink interrompem uma audiência do secretário de Estado Mike Pompeo perante uma subcomissão do Senado - AFP

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, recusou nesta terça-feira (9) reafirmar o apoio dos EUA a um Estado palestino, depois que o primeiro-ministro israelense, Netanyahu, prometeu anexar assentamentos na Cisjordânia.

Diante de um subcomitê do Senado americano enquanto Israel encerrava suas disputadas eleições, Pompeo se recusou a responder quando os democratas pediram que ele apoiasse uma solução de dois Estados.

“Em última análise, os israelenses e palestinos decidirão como resolver isso”, Pompeo respondeu.

Pompeo disse que os assessores do presidente Donald Trump, Jared Kushner e Jason Greenblatt, apresentarão em breve uma proposta “para resolver um problema que está em andamento há décadas e décadas e que governos anteriores não conseguiram resolver”.

“Esperamos que tenhamos algumas ideias diferentes, únicas, que permitirão que israelenses e palestinos cheguem a uma resolução do conflito”, disse Pompeo.

Kushner, que também é genro de Trump, tem laços estreitos com Netanyahu, que disputa o cargo de primeiro-ministro com o ex-chefe militar de centro-direita Benny Gantz.

Dias antes da eleição, Netanyahu disse que anexaria pelo menos partes da Cisjordânia ocupada.

A anexação unilateral “indica que não há acordo com os palestinos”, disse o senador Chris Van Hollen, democrata de Maryland, a Pompeo.

“Parece que você já abandonou o que tem sido uma política externa bipartidária de se opor à anexação de toda ou qualquer parte da Cisjordânia por Israel”, disse.

Trump apoiou fortemente Netanyahu e tomou uma série de ações importantes há muito buscadas por Israel, incluindo o reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado judeu.