Mundo

Pompeo alerta contra China e Rússia nos 30 anos da queda do Muro de Berlim

Pompeo alerta contra China e Rússia nos 30 anos da queda do Muro de Berlim

A visita de Pompeo ocorreu quando a Alemanha se preparava para marcar três décadas desde 9 de novembro de 1989, quando o Muro de Berlim desabou - POOL/AFP

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, fez uma advertência nesta sexta-feira contra as ameaças que, segundo ele, Rússia e China representam, em um discurso em Berlim na véspera do 30º aniversário da queda do Muro.

“As nações ocidentais livres têm a responsabilidade de impedir ameaças a nossas populações de governos como China, Rússia e Irã”, afirmou Pompeo, que discursou a poucos metros de onde ficava o Muro de Berlim, no emblemático Portão de Brandeburgo.

Os Estados Unidos e seus aliados devem “defender o que foi conquistado com tanto custo… em 1989 e reconhecer que estamos em uma competição de valores com as nações que não são livres”, acrescentou.

Pompeo citou o caso do gasoduto em construção Nord Stream 2, que vai da Rússia até a Alemanha, e transforma o “abastecimento de energia na Europa em dependente dos caprichos de (presidente russo Vladimir) Putin”.

A chanceler alemã Angela Merkel repetiu diversas vezes que o gasoduto é um negócio privado.

Pompeo insistiu que a Rússia é comandada por um “ex-agente da KGB” e o acusou de “invadir os vizinhos”, em referência à Ucrânia, e de “matar os opositores políticos”.

O secretário de Estado também criticou o regime comunista chinês, que representa uma “nova visão de autoritarismo”.

Pompeo alertou contra a intenção das empresas chinesas, em particular a gigante Huawei, de construir redes 5G, a nova geração de redes de transmissão.