Esportes

Polonês supera dominicano e deve ser oficializado como novo presidente da Wada

Atual ministro do Esporte e do Turismo da Polônia, Witold Banka deve ser oficializado em novembro como o novo presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Nesta terça-feira, o dirigente superou o dominicano Marcos Diaz em eleição realizada pelo Comitê Executivo da entidade.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

O evento, que aconteceu em Montreal, contou com a presença de 21 integrantes do Comitê e também do Conselho de Fundação da Wada. Com a decisão do grupo, Banka só precisa agora ser oficializado no cargo de presidente na Conferência Mundial Antidoping, que curiosamente acontecerá em seu país, na cidade de Katowice, entre os dias 5 e 7 de novembro.

O polonês de 34 anos tem no currículo uma importante medalha de bronze, conquistada no revezamento 4×400 metros no Mundial de 2007. Seu rival, Marcos Diaz, também atleta da maratona aquática. Ainda havia na disputa a norueguesa Linda Helleland, atual vice-presidente, que não obteve apoio suficiente para entrar no pleito.

“Este é um importante dia para mim e também para a Polônia”, comemorou Banka, que vai substituir o escocês Craig Reedie – liderava a entidade desde 2014. O polonês será o quarto presidente da Wada, sucedendo também o canadense Dick Pound (1999-2007) e o australiano John Fahey (2008-2013).

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea