Mundo

Policial é atropelada e morre após ajudar idosa a atravessar a rua

Crédito: Divulgação/ Los Angeles County Sheriff's Department

Detetive parou para ajudar um pedestre e foi atropelada por outro veículo enquanto voltava para o seu carro (Crédito: Divulgação/ Los Angeles County Sheriff's Department)

Uma detetive de folga do Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles, nos Estados Unidos, morreu após ajudar uma idosa a atravessar a rua. Amber Leist, de 41 anos, estava dirigindo quando viu a pedestre cair enquanto atravessava a rua. A policial parou para ajudar e foi atropelada por outro veículo enquanto voltava para o seu carro. As informações são do portal americano USA Today.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

De acordo com o comandante da polícia de Los Angeles Marc Reina, o motorista do carro que bateu na detetive parou e tentou prestar socorro. Amber foi levada ao hospital onde morreu devido aos ferimentos.

“Ela era uma detetive notável que lideraria pelo exemplo e definitivamente liderou pelo exemplo por meio de seu ato de bondade”, disse o xerife Alex Villanueva, durante uma entrevista coletiva.

De acordo com o USA Today, Amber trabalhou no condado de Los Angeles durante 12 anos. Ela deixa dois filhos, um de 17 e outro de 20 anos, que está em serviço na Marinha dos Estados Unidos.

Veja também

+Cidadania divulga calendário de pagamentos da extensão do auxílio emergencial

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea