Brasil

Mulher é presa por tentar matar a mãe asfixiada em hospital do Maranhão

Crédito: Reprodução TV Globo

Filha tenta matar a mãe asfixiada (Crédito: Reprodução TV Globo)

Luciana Paula Figueiredo, de 32 anos, foi presa em flagrante pela polícia suspeita de tentar matar sua mãe asfixiada nesta terça-feira (28). A vítima é Ana Benedita Figueiredo, de 68 anos, que está internada com quadro grave de embolia pulmonar. Segundo o portal G1, o caso aconteceu em um dos leitos do hospital Dr. Carlos Macieira, em São Luís, no Maranhão.

A ação de Luciana foi filmada por acompanhantes de outros pacientes, que perceberam uma movimentação suspeita no leito e chamaram a polícia. Nas imagens, a filha tentar matar a idosa asfixiada e ainda utiliza um lençol para evitar que ela respire. Mesmo frágil, tentou reagir com uma das mãos.

A filha foi detida por tentativa de homicídio. No depoimento à polícia, Luciana negou que tenha tentado matar Ana Benedita. Além disso, a mulher disse ter uma boa relação com a mãe e que a atitude de colocar a mão na boca da idosa era para outro objetivo.

Segundo a Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), Luciana teria tentado matar a idosa por estar cansada de cuidar da mãe. Outro ponto que é alvo das investigações é uma seringa encontrada em uma das sacolas da filha. A polícia suspeita que Luciana pretendia aplicar medicamentos em Ana Benedita.

Agora, a polícia aguarda a melhora no quadro clínico da idosa, que está na UTI, para tentar ouvir a versão dela sobre o caso.

Veja também

+ Após se aposentar da Globo, Sérgio Chapelin aparece com novo visual; veja
+ Nick Cordero morre aos 41 anos, vítima de complicações da Covid-19
+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Hamilton bateu de novo em Albon; veja memes da F1
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior