Mundo

Polícia nepalesa faz 1ª prisão por morte de mulher em ‘cabana da menstruação’

Polícia nepalesa faz 1ª prisão por morte de mulher em ‘cabana da menstruação’

(Arquivo) Muitas comunidades no Nepal consideram as mulheres menstruadas impuras e, em algumas áreas remotas, são forçadas a dormir em uma cabana longe de casa, seguindo uma tradição secular conhecida como "chhaupadi" - AFP/Arquivos

A polícia do Nepal prendeu o cunhado de uma mulher morta em uma “cabana da menstruação”, o que se acredita ser a primeira prisão ligada a essa antiga tradição considerada ilegal – informaram autoridades locais nesta sexta-feira (6).

Muitas comunidades nepalesas acreditam que mulheres menstruadas são impuras e, em algumas áreas remotas, são forçadas a dormir longe de casa, de acordo com uma tradição secular conhecida como “chhaupadi”.

A cada ano, a prática causa a morte de mulheres por inalação de fumaça, picadas de cobra e até ataques de animais.

Parbati Buda Rawat, de 21 anos, foi encontrada morta na manhã de domingo no distrito oeste de Accham, em uma cabana cheia de fumaça, devido ao fogo que acendeu para se manter aquecida.

“Ontem, prendemos o cunhado da vítima para investigá-lo por seu suposto envolvimento para forçar a falecida a permanecer no galpão”, contou à AFP o oficial da polícia local Janak Bahadur Shahi.

Se condenado, o homem cumprirá uma pena de três meses de prisão e será multado em 3.000 rúpias (27 dólares), graças a uma lei introduzida no ano passado contra qualquer pessoa capturada impondo tal tradição.

“É positivo ver que a polícia age proativamente e ajudará a impedir que as pessoas sigam a tradição. Mas ainda há um longo caminho a percorrer para que isso não aconteça mais”, afirmou Radha Poudel, ativista que trabalha contra o “chhaupadi”.

A morte de Rawat é a terceira oficialmente registrada este ano. Outras duas mulheres morreram por inalação de fumaça em cabanas de menstruação nos distritos vizinhos.

Poudel afirmou, porém, que muitas mortes não são relatadas e que as autoridades geralmente simpatizam com os membros da família nos poucos casos denunciados.

“Chhaupadi” foi declarada ilegal em 2005, mas ainda é aplicada em partes do Nepal, particularmente nas regiões ocidentais remotas e conservadoras. Está vinculada ao hinduísmo e considera as mulheres intocáveis durante a menstruação e também após o parto.

As mulheres são expulsas de casa, proibidas de tocar na comida, em ícones religiosos, no gado e nos homens, além de serem obrigadas a dormir em barracas conhecidas como “chhau goth”.