Geral

Polícia indicia 9 PMs por homicídio culposo em ação que matou 9 jovens em Paraisópolis

Crédito: Reprodução/ TV Globo

Nove policiais militares foram indiciados pela Polícia Civil de São Paulo por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, pela ação que acabou com a morte de nove jovens em um baile funk em Paraisópolis, na zona sul da capital paulista, em dezembro de 2019. As informações são da TV Globo.

SP: Laudo aponta envenenamento como causa da morte de amigas em Paraisópolis

Vestido usado por brasileira no Miss Universo feito em Paraisópolis

São Paulo arrecada alimentos para famílias carentes de Paraisópolis

Segundo o delegado Manoel Fernandes Soares, do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa), concluiu-se que as mortes das vítimas decorreram de atuação culposa de nove policiais.

“Os quais, durante o desenrolar dos fatos, não observaram o necessário cuidado objetivo que lhes era exigível, sendo previsível, no contexto da ação, a ocorrência de resultado letal”, diz o delegado no documento de indiciamento.

No total, 31 PMs foram afastados das ruas e são investigados por participação na ação. O caso ainda não foi encerrado.

O delegado também imputou aos policiais infração de abuso de autoridade, porém, segundo Soares, por tratar-se de uma infração de “menor potencial ofensivo”, os PMs não serão indiciados por essa conduta.

A defesa de cinco dos nove policiais indiciados no inquérito disse, em nota, que “entende que tal posicionamento não condiz com a leitura jurídica correta acerca dos fatos, visto que não há como traçar nexo de causalidade entre as condutas praticadas pelos policiais que participaram da ocorrência e a causa das mortes, nos termos do que sustentamos desde o início”.

Ela espera que o Ministério Público conclua que não há lastro para oferecimento da denúncia nos termos sugeridos pelo DHPP. “Iremos lutar até o fim pela completa absolvição dos policiais, até mesmo para que os verdadeiros culpados pela tragédia sejam responsabilizados”.

Relembro o caso

A Polícia Militar realizou uma ação em Paraisópolis na madrugada de 1º de dezembro de 2019. No local, entre 5 mil e 8 mil pessoas participavam da festa funk Baile da DZ7.

Testemunhas e sobreviventes dizem ter visto policiais lançarem bombas de gás contra as pessoas que estavam no baile, que fugiram para vielas do bairro.

Segundo a Defensoria Pública, PMs encurralaram as vítimas em um beco sem saída e passaram a agredir os jovens. As cenas de agressão foram gravadas por moradores da região.

Por conta da aglomeração, muitas pessoas não conseguiram sair da viela e morreram sufocadas e prensadas umas às outras. A perícia confirmou que oito vítimas morreram asfixiadas e uma outra, por traumatismo.

A PM alega que chegou ao local depois de perseguir dois criminosos em uma moto que acabaram se infiltrando na festa e atiraram na direção dos policiais. Os suspeitos nunca foram identificados ou presos.

Veja também
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ ‘Transo 15 vezes na semana’, diz Eduardo Costa ao revelar tratamento por vício em sexo
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago