Podemos mudar a história


Para quem tem dúvida sobre a inexorabilidade do combate ao racismo estrutural e para os que nunca tiveram dúvidas que a igualdade de oportunidades amplia a diversidade dos insumos e eleva a qualidade do resultado final, o encerramento da seleção dos dez e depois dezenove jovens negros do programa de trainees do Magazine Luiza, apresenta de forma inédita uma oportunidade extraordinária de inflexão, estímulo e entusiasmo. Da mesma forma, desafia aqueles que têm poder de voz e de intervenção, sobretudo os líderes empresariais a realizarem um mergulho profundo num Brasil que sempre esteve aí, mas que agora, desnudado e potencializado pelas novas agendas social e política, global e local, revela para todos os sentidos a estridência de uma realidade insustentável e a potência de uma verdade escamoteada: o discurso e prática racista desiguala os iguais, e o mérito racializado exclui e interdita o acesso isonômico dos talentos e das capacidades, desconsidera e ignora outras dimensões humanas dos indivíduos.

No tempo em que conhecimento é elemento estratégico de competitividade e progresso econômico e social, por conta do racismo estrutural, temos operado na contramão, desperdiçando talentos e deixando de fazer uso inteligente de recursos humanos de extrema qualidade e de altíssimo custo social. Logo, além de irracional e injustificável, tem se constituído numa prática terrivelmente prejudicial à produtividade e desenvolvimento econômico; e, profundamente injusta com os talentosos, esforçados e resilientes jovens negros.

O racismo tem se mostrado uma prática terrivelmente prejudicial à produtividade e ao desenvolvimento econômico do Brasil

Os mais de 22 mil candidatos negros que apresentaram as credenciais para competirem no programa, demonstraram à sociedade que os negros sempre estiveram prontos e qualificados, e, principalmente, sempre estiveram acessíveis àqueles que verdadeiramente quiseram encontrá-los. Demonstraram mais, que em nenhum momento seria preciso baixar a régua ou nivelar por baixo para permitir a competição justa e equitativa seja para cumprir o direito à isonomia, seja para alcançar os propósitos da diversidade corporativa.

O presidente Frederico Trajano foi inspirador: “há mais de quinze anos eu sempre faço entrevistas com os finalistas. Esta foi a que mais emocionou, estou radiante, contagiado com as histórias das pessoas. Um de nossos defeitos é que, infelizmente, no passado, não conseguimos formar líderes negros. E é isso que pragmaticamente queremos resolver”. Ou seja, podemos construir o país que quisermos, e, nem o racismo estrutural pode limitar a nossa vontade de promover o justo, prestigiar o talento, fazer a coisa certa, e mudar a história.


Saiba mais
+ Morre a atriz Noemi Gerbelli, a diretora Olívia da novela 'Carrossel', aos 68 anos
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.