ISTOÉ Gente

Plataforma brasileira Privacy atrai cada vez mais celebridades e influenciadores

Plataforma brasileira Privacy atrai cada vez mais celebridades e influenciadores

Gabi Levinnt é uma das estrelas da Privacy


Sendo o segundo país que mais usufrui de redes sociais no mundo, o Brasil não está para brincadeira quando o assunto é criatividade e produção de conteúdo. Cada vez mais brasileiros querem desenvolver uma carreira digital, afinal, ganhar para postar nas redes sociais é o sonho de muita gente. Agora, mais uma plataforma chegou para desconstruir padrões e, claro, monetizar os influenciadores: a Privacy, a primeira marketplace de conteúdo exclusivo do País.

Lançada em 2020 pelos empreendedores Fábio Monteiro (30), Victor Albuquerque (25) e Vanderson Tibau (30), a plataforma vem dominando o mercado da América do Sul e atraindo a atenção de diversos públicos, incluindo celebridades e influenciadores, que veem na Privacy uma forma de ganhar pelo seu trabalho, além de criar um vínculo mais pessoal com o seu público.

Um dos grandes diferenciais da plataforma é a liberdade que os influenciadores têm de criarem conteúdos diversos e de boa qualidade. Tem para todos os gostos: quem quer divulgar suas aulas de coachings, consultorias e até aqueles que preferem algo mais sensual, com vídeos de exibicionismo.

Entre famosos e celebridades, a apresentadora, repórter e ex-panicat Gabi Levinnt, a miss tattoo mundo Melissa Ferraz e até mesmo a musa dos anos 80, Rita Cadillac, já estão aproveitando a Privacy, vendendo conteúdo exclusivo para os seus fãs e fazendo uma renda extra em meio a pandemia. “Eu percebi que seria um jeito de ganhar dinheiro, postando o que quero e do jeito que eu quero, sem fazer nada que eu não deseje”, conta Rita.

“O nosso objetivo é que as pessoas possam nos reconhecer como uma plataforma que quebra tabus e naturaliza assuntos como sensualidade e sexualidade. Nós entregamos um espaço onde todos possam falar abertamente sobre o que as fazem felizes e ainda ganhar por isso”, explica Fábio Monteiro, CEO da Privacy.


+ Após cobertura ser arrematada em leilão, Carlinhos Mendigo se recusa deixar propriedade
+ Mulher desaparecida é encontrada dentro de cobra píton
+ Furão é estrela de vídeo que recria cenas do filme Ratatouille



Segundo Monteiro, os assuntos que mais fazem sucesso na plataforma são de exibicionismo e sensualidade e já estão abrindo frente também para conteúdos do mundo fitness e lifestyle. A perspectiva é que possam expandir seu leque de atuação para o restante da América Latina até o final de 2021.

Como funciona

A Privacy segue uma política de cadastro rigorosa. Ao preencher o formulário, os usuários, que precisam ser maiores de 18 anos, comprovem sua identidade por meio de foto do documento de identificação e, só após passar por essa verificação, disponibilizam os dados bancários para receber os valores dos assinantes ou demais consumidores.

Os influenciadores podem compartilhar seus conteúdos por meio de vídeos, fotos e até mesmo salas reservadas para uma dinâmica ao vivo. Todo material fica disponível no seu feed, onde qualquer usuário, ao se interessar, pode pagar para consumi-lo de forma pontual, quando se interessa por determinada aula ou pack de imagens, por assinatura mensal, para receber todos os materiais postados pelo influenciador, ou um conteúdo personalizado, que pode ser solicitado pelo chat da plataforma. A Privacy ainda conta com a ferramenta “explorar”, na qual os usuários podem pesquisar por conteúdos do seu interesse.

Com apenas sete meses de funcionamento, os benefícios financeiros conquistados na Privacy são bastante generosos. A plataforma fatura somente 20% em cima do valor conquistado pelos criadores de conteúdo. Os produtores de conteúdo cadastrados podem estipular o valor médio, que varia de R$10 a R$500 para os seus assinantes, além dos conteúdos vendidos separadamente ou personalizados. Alguns dos influenciadores mais influentes já contabilizaram o montante de R$100 mil em apenas um mês, por exemplo.

Atualmente, a Privacy conta com 125 mil membros cadastrados e cerca de 17 mil produtores de conteúdo – e vê esse número dobrar a cada mês. Dentre os produtores, 90% são mulheres e apenas 10% são homens, ambos com idade de 22 a 26 anos. Já em relação aos assinantes, esses dados se invertem. São 93% de público masculino e 7% feminino entre 18 a 45 anos. Monteiro afirma que, com o crescimento da plataforma, prevê esses números mais equilibrados em breve, já que a compra de conteúdo personalizado é uma tendência mundial.

Além de conectar pessoas pelos interesses em comum, a Privacy também é um estímulo para aqueles que procuram por uma renda extra ou até mesmo quem perdeu o emprego na pandemia. “Além de um celular capaz de capturar boas imagens e vídeos, também é preciso entregar um conteúdo de boa qualidade para se destacar dentro do seu nicho de atuação e, consequentemente, conquistar e fidelizar mais assinantes e usufruir do dinheiro que a plataforma pode proporcionar”, finaliza Fábio.

Veja também

+ Receita simples de bolo Red Velvet
+ Yasmin Brunet comemora vitória de Gabriel Medina
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Receita de moqueca de peixe simples e deliciosa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS