Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais
Divulgação

O blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, preso duas vezes a pedido do ministro Alexandre de Moraes (uma pelas ameaças de invasão ao STF em junho de 2020 e outra nas manifestações do Sete de Setembro de 2021), falou com exclusividade à ISTOÉ sobre como sobrevive, depois dos episódios de ataques às instituições nos atos antidemocráticos investigados pela PF. Numa cadeira de rodas, Eustáquio mostrou o celular à reportagem repleto de PIX que lhe foram enviados na segunda-feira, 21. Eram valores de R$ 5 a R$ 200. O saldo total, naquele momento, por volta das 14 horas, era de R$ 7.900. Vaidoso, o jornalista afirmou “nada mal para um dia de trabalho”, explicando que os depósitos são feitos diariamente. Contou que eram contribuições de pessoas que incentivam suas atividades.

Bélgica

Por conta dos inúmeros processos que responde na Justiça, Eustáquio prefere deixar sua conta zerada, para fugir dos credores. Ele confidenciou à ISTOÉ que no final do dia transfere todo o saldo para uma conta bancária que mantém na Bélgica, na Europa. O jornalista garante que a conta é legal, mas tem um jeitão de movimentações financeiras atípicas.

Contradição

Apesar da dinheirama que recebe diariamente, o blogueiro diz sofrer perseguições por parte da Justiça, que bloqueou suas mídias sociais, dificultando sua sobrevivência. Garante viver da ajuda do pai, um militar aposentado, além de auxílio saúde de R$ 4 mil. De forma contraditória, admite ter montado um estúdio de TV com equipamentos de última geração.

Vida boa

Divulgação

Nada como ter dinheiro a rodo. Lula acaba de se mudar do seu duplex de São Bernardo e passou a ocupar um apartamento ainda mais confortável em São Paulo, onde vive com Rosângela Silva, 55, a Janja. Além disso, resolveu passar o Carnaval ao lado da namorada no México, de onde só volta na semana que vem. Mas nem tudo são flores: assessores dizem que teme sofrer violência por parte dos bolsonaristas na rua.

Retrato falado

“A nossa luta é tornar o SUS um instrumento de Estado e não um instrumento político” (Crédito:Claudio Gatti)

Luíza Trajano, do Magazine Luíza e do Grupo Mulheres do Brasil, disse que a pandemia serviu para resgatar a importância do Sistema Único de Saúde. “Acredito na força da sociedade civil e a nossa luta foi no sentido de resgatar o SUS.” Lembrou que o sistema público foi importante na vacinação contra a Covid, explicando que o grupo de mulheres coordenado por ela está debruçado sobre outros projetos, como o Pula para 50, que estimula a participação das mulheres na vida pública.

Os danos da guerra

O Brasil não está em guerra, mas será um dos mais prejudicados por causa da insanidade do amigo de Bolsonaro, o russo Vladimir Putin. Aconteça o que acontecer no Leste Europeu – se Zilensky vai resistir e derrotar a Rússia ou se os russos derrubarem o presidente ucraniano e vencerem o confronto -, já teremos sofrido enormes perdas. De cara, o conflito agravará a nossa inflação porque os preços do petróleo dispararam no mercado (mais de US$ 100 o barril) e desacelerará nosso crescimento, que no início do ano foi estimado em -0,50%. Além disso, Rússia e Ucrânia produzem os fertilizantes necessários para nossos agricultores plantarem as próximas safras.

Marcha à ré

Com a inflação acelerada, o BC sinaliza que a taxa de juros da Selic vai subir de 10,75% para 12,75%. Ou seja, o Copom vai aplicar aumentos nas reuniões de março, maio e junho. O drama é que a guerra acontece no momento em que a economia dava sinais de ter superado a Covid. Agora, deu marcha a ré.

De mala e cuia

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, vai mudar-se para o Palácio dos Bandeirantes no final de março, quando assumirá o governo no lugar de João Doria, candidato a presidente. Garcia vai para a nova residência com toda a família.

Lucas Lacaz Ruiz

Nova equipe

Rodrigo Garcia não deve fazer grandes alterações no funcionamento do governo, mas deverá substituir pelo menos uma dezena de secretários, que deverão ser candidatos a deputado federal. Ele já se comprometeu a não mexer em alguns postos. Esse é o caso de Wilson Pedroso, chefe de gabinete de Doria, que fará a sinergia entre as duas candidaturas.

Tucano indeciso

EVERTON OLIVEIRA

Em fim de mandato de senador e perto de completar 80 anos, José Serra está em dúvida se encerra a carreira política agora ou se ainda concorre a novo mandato eletivo. Familiares pedem para que se aposente, mas o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, ofereceu-lhe um grande projeto de campanha para ele disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. O tucano ainda não decidiu.

Toma lá dá cá

Senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR (Crédito:Waldemir Barreto)

Além da pauta anticorrupção, em qual o tema Moro investirá na campanha?
Claro que o eixo principal será o combate à corrupção, mas Moro tem uma pauta econômica ampla, sobre a geração de emprego, como conduzir a educação, a saúde e como trazer investimentos para propiciar o desenvolvimento do País.

Como resolver a questão da inflação alta?
Inflação não se resolve a curto prazo. O caminho clássico para resolver é o aumento da taxa de juros e o equilíbrio fiscal. É só o governo não fazer populismo em ano eleitoral.

Qual é a perspectiva de crescimento do Podemos?
Após a candidatura do Moro, ocorreram filiações em todo o Brasile nós vamos ter um número grande de candidatos a deputados, senadores e governadores.

Rápidas

* O ministro Alexandre de Moraes está de olho na movimentação nas redes do blogueiro Allan dos Santos, foragido nos EUA. Acionado para banir o miliciano digital, o Telegram atendeu as ordens do magistrado e retirou suas contas no canal usadas para atacar a democracia brasileira.

* Temer sugere a adoção do modelo israelense de compartilhamento de poder para o próximo presidente da terceira via que venha a ser eleito: um fica os dois primeiros anos de governo e o outro, os dois anos restantes.

* O senador Jaques Wagner (PT) provocou o maior corre-corre na Bahia. Anunciou que não será candidato a governador, como Lula queria, abrindo espaço para a candidatura do senador Otto Alencar (PSD). ACM Neto vai acabar levando.

* Sergio Moro escolheu o advogado Luis Felipe Cunha, de Curitiba, para ser o coordenador executivo da sua campanha. Ele atuará junto à equipe de comunicação e do time jurídico para a batalha nos tribunais eleitorais.