ISTOÉ Gente

‘Pior que um assalto à mão armada’, diz Izabella Camargo sobre demissão da Globo

Crédito: Reprodução/Instagram

Izabella Camargo considera que a demissão dela da TV Globo foi “a coisa mais violenta que aconteceu na vida”. A declaração foi dada durante entrevista ao programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira, 9.

“Foi pior que assalto à mão armada. Imagine que você tem moral e acabou de receber elogios. Você pensa que está batendo um bolão. Aí, acontece uma situação e te falam que você não serve mais”, relatou.

Em novembro de 2018, após voltar de uma licença médica por síndrome de Burnout, Izabella foi demitida da emissora. Ela chegou a trabalhar como assessora do gabinete do ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, no governo de Jair Bolsonaro. Tempos depois, foi exonerada do cargo. “Eu só saí do ministério porque eu quero falar sobre (Burnout). Essa é uma bandeira que não posso deixar quieta”, justificou na ocasião.

Ao entrar com um processo trabalhista, Izabella teve de ser recontratada pela TV Globo. Sobre isso, a jornalista considera que “rompeu um sistema”. “Coloquei um dedo na ferida, rompi um sistema. Quando eu trabalhava na TV, as pessoas me paravam para tirar uma foto. Hoje, param para me agradecer por ter rompido o sistema”, avaliou.

Veja também

+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior